( Resenha ) Desejo nas Terras Altas - Michelle Willingham @halequinbrasil



Editora 
Harlequin

Clique na capa e compre o livro em versão digital, na Saraiva.


Leia a sinopse dos livros da série, AQUI.



Resenha

Século XIV, nas terras altas da Escócia, em meio a uma disputa entre escoceses e ingleses ...

Bram Mackinloch foi aprisionado por ingleses em batalha e sofreu 7 longos anos, como escravo. Consegue fugir e chega ao castelo da família de sua noiva. Ele pensou nela em todos os dias de seu confinamento. Essa lembrança era como um bálsamo para dor e agonia vividos.

Nairna fica muito surpresa, quando percebe que seu marido está vivo. Ele saiu para a luta, deixando-a sem nem mesmo consumarem sua noite de núpcias. Ambos eram muito novos e inocentes, porém ela nutria verdadeiros sentimentos por ele e sofreu muito com sua partida e depois com a notícia de sua morte. Casou-se novamente na esperança de construir uma família, mas não conseguiu conceber e poucos anos depois ficou viúva.

O reencontro dos dois é emocionante e tenso ao mesmo tempo. Ambos devem reaprender um sobre o outro, já que não se veem há um longo, longo tempo.

- Bem, garoto, vamos ver quem você é. – Hamish tirou o capuz do homem. E o coração de Nairna parou quando viu o rosto do prisioneiro. Porque era Bram MacKinloch, o marido que não via desde o dia em que haviam se casado, sete anos atrás.

Ele, apesar de todas as carências que sentia, fraqueza, dores, desejo, saudade, tentou dar a Nairna o tempo que ela precisava para que pudessem estar juntos de verdade, porém não abriu mão de dormir ao lado da esposa, por quem era apaixonado.

Daria a Nairna uma casa só dela e toda a liberdade que queria. Não era bom com palavras ou em fazer a corte, como os outros homens. Apenas esperava que, com o tempo, ela visse que a protegeria e cuidaria dela. Era tudo o que lhe restava para dar.

Bravo e corajoso, Bram é um personagem muito real, cheio de inseguranças. Pensa que a esposa não o quer e tenta agradá-la, porém não é muito bom com as palavras e em demonstrar seus sentimentos.

Também é muito apaixonado e ciumento, e as lembranças dos dois na juventude são lindas. Ele é um romântico, mesmo não se dando conta. Amoroso e cuidadoso com a esposa, se preocupa com seus sentimentos e seu prazer, o que nos rende boas cenas quentes dos dois. ; ) 

Ele ainda sofre muito e se culpa por ter deixado seu irmão no cativeiro. Necessita de tempo para recuperar suas forças e treinar, já que ficou muitos anos preso. Porém o desejo de salvar o irmão, que ainda é escravo, e proteger seu clã, é muito forte e por isso se arrisca antes mesmo de estar apto.

Nairna olhou com dureza para o chefe. Quiseram avaliar a força de Bram e agora tinham a resposta. Não estava pronto para lutar, (...).

Nairna quer que o marido fique em segurança, já sofreu muito pensando que ele estava morto. Mas ele é teimoso demais, então ela pensa em estratégias para poupar seu marido e os irmãos dele dos riscos do resgate e acaba se metendo em algumas confusões. 

Inteligente, Nairna chega ao Clã do marido e tenta ajuda-los oferecendo-se para fazer as contas e auxiliar na administração.
Ama seu marido, mas em algumas situações, não sabe como lidar com ele, que vive momentos de profunda inserção em seus traumas e sua dor, ficando violento e irracional. Nesses momentos, parece se afastar dela, o que a deixa mais insegura.

O casal é apaixonante. Eles se querem muito, mas nem sempre sabem como demonstrar. Estão reaprendendo a amar, pois conhecem pouco um sobre o outro.

A história é linda, com drama, amor, romance e cenas de ação muito boas. Ela fala sobre sentimentos, relações humanas e nos mostra com mais precisão a vida real e sofrida do Século XIV. Parece que a autora fez muitas pesquisas escrevendo as histórias com a maior proximidade da realidade possível.

Os personagens são muito verossímeis, com falhas, defeitos e qualidades. Os guerreiros são os que mais me impressionaram, pois não são os homens perfeitos, super fortes e que sempre vencem, como se encontra geralmente em romances medievais. São homens reais que mesmo sendo bravos e corajosos, perdem algumas lutas, fraquejam, porém amam e protegem com a sua própria vida, as suas família e suas mulheres.

Amei, recomendo!


Os outros livros contam as histórias dos irmãos de Bram, que tem igualmente histórias sofridas e traumáticas.



Gostou? Comente!
Os comentários nos ajudam a melhorar.

6 comentários

  1. Oi Marissa,
    Eu já tinha visto essa série no site da Harlequim, mas como nunca li romances históricos-medievais tive medo de arriscar.
    Que estória linda, me lembrou um pouco do Conde de Monte Cristo.
    Parabéns pela resenha.
    Beijo
    http://entreversoseparagrafos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá, meu blog foi indicado para receber o selo Liebster Award, e agora estou indicando seu blog para recebê-lo!
    Beijos <3

    http://blog-perceps.blogspot.com.br/2013/12/selo-liebster-award.html

    ResponderExcluir
  3. Neury, eu amo romances históricos! Peguei com grande expectativa, pois já tinha lido sobre ele em outro blog que disse que era muito bom! Adorei!

    ResponderExcluir
  4. Oi Flor!
    Essa resenha ficou demais!
    Amo esses homens guerreiros, fortes e ''reais'' como vc diz!
    Tudo haver comigo! hahha
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Sempre gostei dos Históricoe e esse me parece muito bom, não vejo a hora de lê-lo.

    ResponderExcluir
  6. Achei engraçada a capa,não contive o riso.

    ResponderExcluir

© BLOG CLÃ DOS LIVROS- TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Design e Programação por