( Resenha ) Indesejadas de Kristina Ohlsson @editoravestigio

Editora Vestígio
Grupo Autêntica

Clique na capa e compre o livro na Saraiva

Leia a sinopse, AQUI.

Resenha


“Quando bem pequeno, achava que era punido porque fazia alguma coisa errada...

Só entendeu melhor quando cresceu. Simplesmente não havia nada que fosse certo. Não eram apenas suas ações que estavam erradas e precisavam de punição, mas sim toda sua essência e existência. Ele era punido por existir.” 

Indesejadas é o livro de estréia da autora sueca kristina Ohlsson, e pela breve biografia da autora dá pra ter ao menos uma noção do quanto o livro seria bom, porque o currículo dela é recheado, e vamos assim dizer que ela entende do assunto rsrs 



Sou apaixonada por livros policiais, e todos os livros policiais que já li, o foco, o destaque está nos homens, mas a autora veio para inovar e mostrar que as mulheres também são capazes de resolver um caso, e acreditem a analista criminal Fredrika, foi essencial no caso das Indesejadas.

Crimes brutais marcam um verão sueco, seria obra de um psicopata? Seria apenas uma disputa familiar? Ou seria uma vingança?

Em Indesejadas nos deparamos com o desaparecimento da pequena Lilian. Lilian estava no trem com sua mãe, quando de repente desapareceu. Nenhuma pista foi deixada de quem poderia ter levado a criança, a única coisa que os policiais puderam encontrar no trem, foi uma pegada de número 46. 

Alex é o inspetor que ficou responsável pelo caso da criança desaparecida, juntamente com sua equipe que é composta por Fredrika e Peder. Alex é muito conhecido por sua eficiência, confesso que não gostei muito dele e nem do Peder, pois eles são aqueles caras machistas que não punham fé em Fredrika, mas eles foram surpreendidos com tamanha eficiência. 

Diante do desaparecimento de Lilian, e da situação da mãe da criança com o pai, a polícia leva a crer que o ocorrido foi o resultado de uma disputa familiar. Mas, o que eles não esperavam é que encontrariam a criança morta de forma brutal em uma outra cidade. Seria um pai capaz de cometer tal ato, apenas por desavenças com a esposa? O que o levaria a matar a própria filha? A polícia, continua focada na busca ao pai da criança, que até então se encontra desaparecido, e é aí que o segundo crime acontece. 

Os crimes acontecem bem rápido, e os investigadores cada vez mais se vêem longe de solucionar o caso, pois eles não sabem o porquê desses crimes e o que leva o assassino a cometê-los, a única coisa que liga um assassinato a outro, é a palavra indesejada escrita nos corpos das crianças. 

“Quando eles sentiam que estavam no controle da situação, o caso se mostrava lá na frente, num caminho totalmente oposto. Alex pensou na expressão “dar um passo para trás”. Ele e sua equipe não estavam um passo atrás, mas sim quilômetros.”

O livro é adrenalina constante, é daqueles livros que não conseguimos desgrudar, é totalmente instigante. A autora sobre trabalhar bem na criação dos seus personagens, durante a leitura podemos acompanhar o que se passa na vida de Alex, Peder e Fredrika, o que faz com que eles nos passem uma imagem de vida real, nada de vida perfeita, todos eles tem problemas, e achei isso ótimo, pois nos deixa mais “próximos” . Sem contar, que no inicio eles eram uma equipe distante, havia muita descriminação da parte de Alex e Perder por Fredrika, mas durante a investigação eles acabam por se aproximar, e Fredrika que antes era descriminada, passa a ser admirada. 

Como eu disse anteriormente, o livro é instigante, mas no final quando o assassino é revelado, achei que a autora poderia ter falado mais dele, eu queria que a autora “entrasse” na mente dele, pois ficou algo perdido no ar. Terminei o livro com o sentimento de: falta alguma coisa aqui! Não fiquei completamente satisfeita rs E por mais que o final tenha ficado a desejar, eu recomendo muitíssimo o livro; e assim que lançar o próximo livro da série, com certeza lerei.

“...era tão difícil suportar a desgraça quanto era caminhar sobre uma fina camada de gelo que se forma durante a noite. Num momento parece que está tudo bem, que sabemos onde estamos pisando, mas no outro o gelo cede e afundamos na mais insondável escuridão.”

5 comentários

  1. Aí Marissa este livro é lindo e triste, peguei a recomendação aqui no Clã e comprei logo depois que li aqui.
    Muito profundo e muito denso, a sua resenha não poderia estar mais fiel!!!

    ResponderExcluir
  2. Tbm amoooo livros policiais!!
    E realmente, todos os livros q eu li foram de homens solucionando os crimes, nunca havia visto um livro policial com uma mulher sendo a heroína!
    Mto legal a autora ter pensado nisso!
    Gostei de saber q o livro é pura adrenalina!! Isso faz q n conseguimos largar o livro neaah!! hahaa
    Uma pena q a autora n tenha entrado na mente do culpado, p q possamos entender os motivos e tal...
    Ainda sim pretendo mtooo ler este!!

    ResponderExcluir
  3. Nossa esse livro parece ser ótimo, fiquei bastante interessada em ler, curto muito livros policiais.

    ResponderExcluir
  4. Livros policiais são realmente o máximo!
    E quando a trama é bem elaborada,não dá para deixar o livro de lado,enquanto não descobrimos quem cometeu o crime e porque.
    Não conhecia ainda o livro,mas fiquei com vontade de ler.

    ResponderExcluir
  5. Adoro livros policiais, principalmente pq vc se envolve na trama e fica seguindo passa a passo a leitura sem querer perder nenhuma pista. Ja tinha visto falar nesse livro aqui mesmo, e ja tinha ficado curiosa, tomara q eu consiga tempo pra colocar a leituras em dia e lê-lo

    ResponderExcluir

© BLOG CLÃ DOS LIVROS- TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Design e Programação por