( Resenha ) Como ser feliz (ou no mínimo, menos triste) de Lee Crutchley @cialetras

Companhia das Letras
Clique na capa e compre o livro na Saraiva

Sinopse


Com perguntas divertidas e instruções surpreendentes, Como ser feliz (ou, no mínimo, menos triste) ajuda os leitores a verem a vida com novos olhos e redescobrir os prazeres simples que trazem alegria.


Resenha 


Lee Crutchley nasceu na Inglaterra e é um artista e autor. Seus livros incluem “Comece por aqui” e “Como ser feliz” 

Diferente da primeira impressão que causa, esse livro não é de auto-ajuda. Contendo perguntas divertidas e instruções intrigantes, o autor leva seus leitores a perceberem a vida com outro olhar e a redescobrir os prazeres que encontramos em coisas simples e que podem trazer alegria.

O livro é totalmente interativo e suas instruções são baseadas em pesquisas psicológicas modernas e antigas sabedorias filosóficas. Sua leitura fornece ao leitor poderosas ferramentas para analisar nossa mente e trazer à tona nossa própria sabedoria. 

Segundo estudos de alguns psicólogos, o ato de escrever pode nos ajudar a nos conhecer melhor e até a a curar feridas físicas. É isso que Lee nos leva a fazer constantemente. 



Com base em sua própria experiência, Lee faz uma viagem introspectiva que o leva a meditar sobre o que é a felicidade e como alcançá-la. A meditação aliada a várias pesquisas sobre o funcionamento da mente e do corpo e à leitura de diversas abordagens filosóficas sobre a tristeza e a felicidade, levaram-no a uma descoberta surpreendente. Como resultado, surge essa obra, contendo a seguinte promessa:

“[...] Embora eu desconheça os segredos que possam trazer a felicidade, prometo que este livro pode ajudar você a se sentir menos triste.”



Lee Crutchley afirma despretensiosamente que sua obra não tem nenhum tipo de segredo para ajudar as pessoas a alcançarem a felicidade. 

Com uma escrita leve, agradável e bem humorada, podemos dizer que esse livro é um “manual” onde o autor nos fala de tristeza, depressão e como contornar esses problemas e aprender a valorizar o que é mais importante: você. 




Nenhum comentário

Postar um comentário

© BLOG CLÃ DOS LIVROS- TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Design e Programação por