4 Estrelas,

( Resenha ) A Caderneta Vermelha de Antoine Laurain @alfaguara_br

28 junho Joss 1 Comments

Editora Alfaguara 

Clique na capa e compre o livro na Saraiva

Leia a sinopse AQUI.

Resenha



Uma história sutil, com um romantismo suave, linhas muito bem escritas, acontecimentos de uma vida cotidiana... e quando você percebe já está mergulhado neste enredo curioso, inteligente e encantador. 

O que você faria se encontrasse uma bolsa muito bonita na rua, cheia de pertences pessoais, mas sem a carteira?


O que será  o livreiro Laurente Letellier fez? 

O livro começa com a narração de como Laure perdeu sua bolsa, sua caderneta de anotações, várias lembranças, e tudo que só uma mulher pode guardar em sua bolsa... (Não é verdade meninas?). Também vemos como toda ação acontece muito rápido e todas as consequências desse roubo nos dias seguintes. 

O livreiro Laurent encontra essa bolsa e tenta devolver a polícia ou a quem pudesse encontrar sua dona, mas se dá conta de que uma bolsa perdida era a última coisa com a qual um policial iria se preocupar. Então ele começa a procurar pistas para achar um nome, sobrenome, um endereço ou telefone que pudesse ajudá-lo a encontrar a dona da bolsa. 

“Laurent jamais imaginaria que uma bolsa de mulher poderia conter tantos cantos e recantos. Aquilo era mais complexo do que a dissecação de um polvo sobre a bancada da cozinha.”

E é assim que Laurent começa sua investigação sem muitas pretensões e por razões que ele mesmo desconhecia. Ele fica intrigado para encontrar a dona daquela bolsa cheia de objetos interessantes, que despertam sua imaginação. Afinal por quê aqueles objetos estariam ali? 

Porém ao abrir uma caderneta vermelha, Laurent fica realmente fascinado pela pessoa que escreveu aquelas listas, pensamentos e ideias... e como ela deve ser uma pessoa interessante. E assim, em meio as suas investigações e por meio de pequenos detalhes, ele vai conhecendo e desenhando em sua mente como seria aquela pessoa.

Muitas situações vão surgindo a partir da simples presença da bolsa em sua casa. E todo desenrolar apaixonante desta história, nada clichê de amor, vai se desenrolando.

Todos os personagens são muito bem construídos e fluem perfeitamente pela história. Uma delas é a filha de Laurent, com quem tem diálogos e encontros cheios de amor, humor e inteligência. 

O livro é todo narrado em terceira pessoa e temos acesso aos pensamentos de Laurent e mesmo que só um pouco de Laure, podemos conhecê-los melhor. Algumas vezes a narração é um pouco confusa pela falta de pontuação e indicação de fala.

Gosto das listas de Laure em sua caderneta vermelha como por exemplo “Tenho medo...”.
A minha começaria assim:
1- Tenho medo de nunca conseguir ler todos os livros que quero... 

Toda a história, seus personagens, seus diálogos, seus sentimentos e pensamentos. Tudo é tão bem construído e de uma maneira tão rica e suave, que envolve o leitor.  A narrativa é palpável e possível de acontecer comigo ou com você.

Amei e recomendo!

Um comentário:

  1. Olá Joss! Olha, só a capa e o nome do livro por sí só já haviam me ganhado. Mas aí eu lu sua resenha e what? Preciso saber quem é essa pessoa! Gostei muito da forma como você descreveu sua leitura.
    Beijos
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir