( Resenha ) Como uma Jóia - Livro 1 da Duologia homônima de Isadora Raes

Publicação independente

Sinopse


Jonas Malta é o brilhante diretor-executivo de uma grande rede de joalheria. Frio e arrogante, está acostumado a ter tudo o que deseja, inclusive as mulheres. O que ninguém imagina é que por trás da máscara de vilão, ele esconde uma alma marcada pelos traumas de uma infância difícil e negligenciada. 

Verônica é uma garota simples e azarada, que após perder o emprego, consegue uma vaga de camareira em um hotel de luxo. O que ela não espera é que o próprio trabalho acabe virando um grande pesadelo quando ela se vê atormentada e cercada pelas garras de um ricaço obsessivo e extremamente enigmático. 

Quando põe os olhos em Verônica dançando sobre sua cama, Jonas decide que precisa dela, ainda que para isso acabe passando por cima dos sentimentos de muitas pessoas. 

Resenha

Jonas Malta é o diretor executivo da Luxus, uma das maiores redes de joalherias do Brasil. Um CEO de trinta e cinco anos de idade, lindo, sexy, intimidador, milionário e mulherengo, que costuma ter tudo aquilo que deseja. Reside em uma bela mansão localizada no Recreio dos Bandeirantes, Rio de Janeiro, porém, devido as constantes viagens que realiza a trabalho, acaba passando mais tempo hospedado em hotéis. 

Para Jonas ninguém nunca é bom, ou interessante o suficiente, nem mesmo sua própria mãe, pois ele a enxerga apenas como uma interesseira. Seu assessor, Augusto, um homem gentil e dedicado, que realiza seu trabalho com esmero, é a pessoa mais próxima dele. 

“As coisas irão melhorar. Era só se esforçar e acreditar.”
Verônica mora com os pais, um porteiro aposentado e uma humilde dona de casa, e a irmã, em um bairro no subúrbio do Rio de Janeiro. Cursa jornalismo, banca a mensalidade e ajuda nas despesas da casa. Sendo uma das novas camareiras contratadas do Gallant Hotel, graças à indicação de sua amiga, Érica, pois Verônica já havia se considerado sem sorte com empregos. 

Certa de que não tem futuro ao lado de seu namorado, Aparecido Bezerra Pinto, mais conhecido como Cidão, que a chama de joia rara. Porque além de Verônica não amá-lo, Cidão tem trinta anos de idade, pavor de trabalho, sonha alto demais e toca em um grupo musical chamado Os Malandros, misturando MPB com pagode. 

“— Como eu gostaria de encontrar um homem rico um dia, que me tirasse daquele buraco de onde eu vivo!
Verônica deu uma piscadela em direção à outra.
— Melhor trabalhar, amiga, que contos de fadas não existem.”

Jonas é cliente VIP do Gallant Hotel há anos, e no dia em que se hospeda no 18º andar ele acaba tendo uma surpresa. Enquanto arrumava o quarto, Verônica resolveu aproveitar o luxo e experimentar a maravilhosa cama, fazendo uma brincadeira boba. Mesmo tendo sido alertada por Érica de que não deveria fazê-lo, pois isso poria em risco seu emprego, a jovem insiste em aproveitar o momento e acaba sendo pega no flagra por Jonas.

“... estava dançando em cima de sua cama! E com muita sensualidade, ele examinou, admirando-a da cabeça aos pés. Não soube explicar o que sentira naquele instante. Desejo? Curiosidade? Atração?”

Desde que ele a viu pela primeira vez, não conseguiu tirá-la de seus pensamentos e seu faro de predador não costumava falhar. Ele namora Paula já faz alguns anos. Ela é rica e fútil, o tipo perfeito de mulher para um cara como ele. Entretanto, Jonas não é fiel e nem almeja o casamento, apesar de já terem tocado no assunto. Afinal, ele não se sente pronto para assumir um compromisso tão sério como este. 

“Aquela pele lisa e macia havia realmente mexido com seus pensamentos.”

De repente, uma ideia estapafúrdia vem à mente de Jonas, envolvendo Verônica, e ele pede a seu assessor, Augusto, que intermedie uma proposta irrecusável. Logo, essa aproximação entre eles pode provocar muitas reviravoltas, tanto em suas vidas, quanto em seus corações, nos proporcionando cenas quentes de tirar o fôlego. 

Como uma Joia, é um romance hot que faz parte de uma duologia. Narrado em terceira pessoa e descrito em detalhes, possibilita ao leitor imaginar-se dentro da história. Uma leitura rápida, suave e envolvente, com personagens apaixonantes.


Já li outras obras da autora e gostei muito. Sua escrita é fluída, leve e direta. Quando li a sinopse desta, imaginei imediatamente que seria mais uma típica história do CEO controlador e a mocinha sonhadora, porém, me surpreendi com o modo como a autora conduziu a trama, fazendo com que não se tornasse repetitiva, dosando o drama e surpreendendo com um desfecho emocionante. 

A capa é bonita e atraente. A diagramação é simples e contém alguns erros de revisão que incomodam um pouco. 

Dou quatros estrelas e recomendo para quem curte o gênero!


Um comentário

  1. Uma linda resenha, Ingrid! Obrigada pelo carinho! Mil beijos!

    ResponderExcluir

© BLOG CLÃ DOS LIVROS- TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Design e Programação por