5 Estrelas,

( Resenha ) A Maldição do Vencedor - Livro 1 da Trilogia The Winners de Marie Rutkoski @VReditoras @plataforma21

30 setembro Clã dos Livros 1 Comments

Plataforma 21
V&R Editoras
Clique na capa e compre o livro na Saraiva

Leia a sinopse AQUI.

Resenha

Povos inimigos e um amor proibido.

Krestel é a jovem filha do famoso general de Valória. Como uma boa valoriana, sabe que terá que escolher uma carreira militar ou um casamento, muito em breve, mas resiste, desejando ficar com sua paixão: sua música, seu piano. Ela é inteligente e uma boa estrategista, mas seu pai a quer como uma guerreira e a jovem sabe que não é boa com as armas e lutas.

Seu destino e suas escolhas mudam drasticamente quando ela compra um escravo, Arin, um herrani, meio sem saber o porquê... O valor enorme pago por ela na compra, vira um pequeno escândalo e muitos da sociedade se perguntam por quê?


- Você não frequenta leilões, não é? A maldição do vencedor é quando você vence as ofertas, mas só pagando um preço exorbitante.



Arin é rebelde e misterioso. Apesar de tentar manter-se longe dele no início, Krestel acaba se aproximando. Os dois são de povos inimigos e Arin guarda muito rancor (claro) já que a cidade onde estão, era de seu povo e foi tomada pelo povo de Krestel.
Antes da guerra, os valorianos admiravam, até invejavam - sim, invejavam - os herranis. Depois, era como se o feitiço tivesse se quebrado ou outro tivesse sido lançado. O escravo nunca conseguiu acreditar direito. De alguma forma, agora era possível rebaixá-lo a um animal. (...) Ele estava amargurado de tanto engolir a raiva.

Os olhos cinzas e a sinceridade em sua fala, fazem dos momentos passados juntos fascinantes e Krestel não sabe o que pensar sobre ele. Ele guarda segredos que vão sendo descobertos através dos jogos de aposta e também pela astúcia dela, mas nada poderia prepará-la para o maior segredo de todos.



Krestel e Arin viverão dilemas fortes e deverão lutar com desafios muito maiores do que apenas escolhas certas ou erradas, pois entre o seu povo e o seu amor, não pode existir uma escolha. Ou pode? 



"Tudo na guerra diz respeito ao que você sabe sobre as habilidades e vantagens do seu adversário, (...)"

Com um cenário rico e fascinante, um enredo maravilhosamente conduzido, repleto de suspense, intrigas, lutas políticas, violência, personagens fortes e inesquecíveis e um amor proibido, A Maldição do Vencedor me balançou. Os capítulos passavam e eu me surpreendia a cada momento.

Krestel é forte, determinada e corajosa. Conhece suas fraquezas e usa bem suas qualidades, além disso apesar dos problemas, não desiste diante de um desafio e isso foi fantástico de assistir. Ela é uma boa pessoa, e apesar do treinamento militar que recebe, não é a melhor guerreira de todas, então deve sempre contar com sua inteligência e grande capacidade de pensar estratégicamente.


Arin me ganhou, sua dureza em relação aos valorianos no início, foi se desfazendo aos poucos ao conhecer melhor Krestel. Não se enganem, ele não é nenhum molenga e ainda odeia seus inimigos, mas suas intenções são justas e nobres e ele mostra isso em vários momentos.

Aqui não existem heróis, nem vilões, não existem inocentes. Mesmo assim, vemos bondade e maldade em ambos lados. Quem vence, quem perde?

O livro é todo narrado em terceira pessoa com os pontos de vista de Krestel e Arin o tempo todo.

O final foi surpreendente e me deixou em cólicas aguardando a chegada do livro 2, Crime do Vencedor, que já está à venda.

Amei e recomendo! 



Um comentário:

  1. Adorei sua resenha. Estou finalizando a leitura, mas achei meio equilibrado o enredo e por isso não achei esse primeiro livro tão lá essas coisas. Acho que faltou um A+ nessa história, mas espero que o segundo venha com mais impacto. Bjos!

    www.primeiras-impressoes.com

    ResponderExcluir