Autobiográfico,

( Resenha ) Quem é Essa Tagarela ? Cris Bicudo @primaveraeditor

13 setembro Joss 0 Comments

Primavera Editorial

Clique na capa e compre o livro na Saraiva

Leia a sinopse AQUI.

Resenha



Quem é essa tagarela? é o livro autobiográfico da jornalista Cris Bicudo, surda de nascença.

Ninguém está preparado para o incomum. Ter um filho deficiente gera desconforto e medo. Como cuidar de um bebê que necessitará de atenção especial no desenvolvimento da sua comunicação com o mundo?

Cris relata que, desde o início de sua vida, recebeu o carinho e os cuidados de toda sua família, além do apoio de profissionais, que contribuíram efetivamente no desenvolvimento da sua oralidade.

Todas as coisas eram motivo de aprendizado. Minha mãe encontrava em tudo, um motivo para me estimular. Por exemplo, quer coisa mais simples e cotidiana do que estourar pipocas? Pois fazíamos pipocas apenas para escutar o seu espocar, pois era lago que em encantava por causa do “ploc,ploc, ploc”... Acredito que todas as crianças achem essa transformação fascinante, mas para mim, o som penetrando em meus ouvidos era a descoberta de um novo mundo.

O empenho de sua mãe merece capítulos a parte. Sua presença atenta e amorosa com certeza fortaleceu a autoestima de Cris Bicudo. É possível perceber a gratidão e a admiração registrada nas palavras da autora.

Desde muito cedo Cris Bicudo usou aparelhos auditivos e tornou-se oralizada, ou seja, capaz de discriminar sons e falar e recebeu a mesma oportunidade que as crianças ouvintes.

Sua vida seguia como a de todos: a escola, a relação em família, as mudanças de casa, as amizades...

Algo que sempre carreguei comigo foi a conversa “sem voz” com os amigos... Lembro que algumas vezes, quando precisava falar com minha amiga Ana, sem que alguém ouvisse, conversássemos ‘sem voz”...Tal fato somente comprova que todos nós, seres humanos, temos capacidade para esse recurso, que muitas vezes usamos inconscientemente.

Já adulta um momento muito difícil para Cris Bicudo foi o surgimento de uma sequela que diminuiu ainda mais a sua audição.

- É tão estranho... Parece que tinha antes uma outra vida e, agora, tenho que me readaptar, entender o som e o que as pessoas falam, tenho até medo de falar ao telefone por causa dos zumbidos. Imagine... Eu, que nasci com deficiência auditiva, aprendi a ouvir e a falar desde pequena e, agora isso: levar esse susto e ter que recomeçar.

Mas nada a fez desanimar e desistir. Adaptações foram necessárias ao longo da vida e a persistência foi sua marca em tudo que viveu: a Faculdade de Jornalismo, os namoros, as viagens, a chegada e a partida do seu cavalo Hafandy, as suas experiências profissionais e a sua independência financeira que a possibilitou morar sozinha.

Cris Bicudo

Mesmo enfrentando situações de preconceito em alguns momentos, Cris Bicudo desconstruiu a ideia da limitação no seu grupo social e conseguiu ser reconhecida pelas suas qualidades e capacidades, com certeza suas grandes vitórias pessoais.

Assim, algo começou a tomar forma em meu coração; meu desejo de voltar para são Paulo foi germinando, até se transformar em uma árvore que desenvolvia fortes raízes que se espelhavam pelo chão...Por mais que gostasse dos colegas, queria me desenvolver profissionalmente, fato que só seria possível dentro da minha própria área de formação.

Cris Bicudo apresenta com muita naturalidade a sua história referenciando a importância da base familiar para se vencer as dificuldades. As fotos de família compartilhadas no livro expressam em imagens, os sentimentos de amor e aceitação.

Quem é essa tagarela? é um livro que nos propõe importantes reflexões sobre as diversidades presentes na nossa vida. A deficiência, seja qual for, não é identidade. Todas as pessoas têm direito a viver em igualdade.

Ao longo da minha vida, reencontrei velhos amigos e conheci novos, cada um deles só acrescentando riqueza de aprendizado à minha história. Acredito que, a cada ano, tudo muda sempre para melhor, nunca me esquecendo, enfim que...TUDO É POSSÍVEL.
Um bom livro que deixa como mensagem que a felicidade é conquistada. Basta querer.


0 comentários: