4 Estrelas,

( Resenha ) Uma Canção de Ninar de Sarah Dessen @editoraseguinte

16 setembro Larissa 1 Comments

Editora Seguinte

Clique na capa e compre o livro na Saraiva


Leia a sinopse AQUI.


Resenha



"Esta canção de ninar
Tem poucas palavras
Apenas alguns acordes
Neste quarto vazio
Mas você pode ouvir e ouvir
Aonde quer que vá
Vou te decepcionar
Mas esta canção vai continuar a tocar..."

Uma canção de Ninar vai contar a história de Remy, uma jovem que acabou seus estudos do ensino médio e finalmente vai sair da casa de sua mãe para poder frequentar a faculdade.

Remy é filha de uma escritora famosa de romances e um cantor de uma banda de rock. Seu pai faleceu quando ela era criança, mas, mesmo quando vivo, não foi tão presente na vida da jovem. O relacionamento com a sua mãe e seu irmão mais velho é bem sólido apesar das diferenças.O amor realmente é maior do que qualquer pensamento desagradável sobre as atitudes de seus familiares próximos.

Logo no primeiro capítulo a jovem já demonstra o que ela pensa do amor, por conta dos vários relacionamentos de sua mãe e de ter presenciado vários momentos não tão felizes na família, Remy não acredita em relacionamentos longos. Na verdade ela consegue muito bem separar o sentimento das coisas que ela planejou para seu futuro.

Não estou dizendo que ela evitava relacionamentos, mas na verdade não tinha problemas em terminar um no primeiro sinal de desagrado ou por conta de um planejamento maior. 

"Era a quarta vez. Quinta, contando meu pai. Eu preferia não contar. Mas aos olhos dela, eles foram casados - se é que uma cerimônia no meio do deserto feita por alguém que eles tinha acabado de conhecer conta como casamento. Para a minha mãe, conta. Mas ela troca de marido pelos mesmos motivos que as pessoas tingem o cabelo: tédio, apatia, ou a esperança de que aquilo vai resolver tudo."
Prova de seu bom relacionamento com a mãe é que a maioria dos casamentos dela foram organizados pela Remy. E no primeiro capítulo a protagonista divide como se sente com a correria da organização do casamento futuro e também sobre seu mais novo padrasto.

E na loja de carros de seu futuro padrasto que Remy conhece Dexter. O jovem não deixa uma boa primeira impressão, todo atrapalhado, dizendo coisas "clichês", Dex não é o tipo de garoto com quem ela imagina ter um relacionamento.

Mas ele é persistente e tenta de todas as formas conquistar a jovem. Eles acabam se esbarrando em outros locais e sempre que se encontravam ele jogava todo o seu charme para conseguir uma chance.

"Quando o táxi virou na avenida principal, vislumbrei alguma coisa no parque, à direita. Era Dexter, a pé, entrando num bairro. Com a camisa branca, ele se destacava, quase como se estivesse brilhando. Andava pelo meio da rua, cercado de casas apagadas, que dormiam em silêncio. Por um instante tive a impressão de que ele era a única pessoa acordada, ou até mesmo viva, no mundo inteiro além de mim."
Dexter é cantor em uma banda de rock que acabou de se mudar para a cidade. Isso já fere uma das primeiras regras da protagonista: 'Não namore músicos'. 

Cada integrante da banda, com suas características pessoais, é muito legal e são bem unidos. Moram todos na mesma casa e dividem as despesas e atividades.

Água mole em pedra dura, tanto bate até que fura. E em um momento Remy decide ter seu último romance de verão antes de ir para a faculdade. Leva em consideração também a vida "nômade" dos músicos e fica tranquila em ter um relacionamento com prazo de validade.

"Enquanto o resto do mundo seguia alheio, tomando café, lendo o caderno de esportes e pegando as roupas na lavanderia, eu me inclinava para frente e beijava Dexter, fazendo uma escolha que mudaria tudo. Talvez em algum lugar houvesse uma reverberação, um salto, uma pequena mudança no universo, quase despercebida."



Remy tem três amigas muito próximas, o mais interessante é que cada uma tem características marcante mas que não são parecidas. Ou seja elas formam um grupo bastante diversificado e que se completa. A amizade do grupo é uma coisa que eu gostei muito no livro, a autora conseguiu colocar toda a cumplicidade e sentimento que existe entre melhores amigos.

No decorrer do livro vamos ver todos os acontecimentos dessas férias e como algumas das "verdades" que a protagonista carrega dentro de si, vão sofrer pressão. Na vida passamos por situações que nos fazem pensar e repensar sobre algumas das convicções e regras que temos, não tem roteiro fixo e sempre somos surpreendidos quando deixamos as coisas acontecerem.

Eu gostei bastante do desenvolvimento da história e da escrita da autora. Um livro leve e com passagens de amor, engraçadas e com seus momentos de conflito. A autora trouxe uma história bem real, com personagens que cometem erros que muitas vezes também cometemos, bem como caminhos que a vida segue e que não estavam no planejamento. A leitura foi super rápida e com um final interessante. 
"Ficar com tanto medo a ponto de nem tentar é um desperdício. [...]Cometi muitos erros, mas não me arrependo de nada. Porque pelo menos não passei a vida toda à margem, imaginando como seria viver."

Capa Original - Livro Brochura

Capa Original - Livro Capa Dura

Um comentário:

  1. Ótima resenha Larissa.
    Estou com esse livro para ler aqui do meu lado e gostei da suas impressões.
    Não pareceu ser nenhuma história grandiosa, mas daquelas gostosinhas de se passar o tempo, não é?!
    Bjos!
    Carla - http://lapiselivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir