5 Estrelas,

( Resenha ) A Colônia - Livro 1 da Trilogia de Ezekiel Boone @Suma_BR

31 outubro Alaide 0 Comments

Suma de Letras 
Clique na capa e compre o livro na Saraiva

Leia a sinopse AQUI.

Resenha




Quem tem pavor de aranhas talvez não termine este livro! Mas quem aprecia um bom livro de ficção científica misturado com boas doses de terror, certamente vai gostar. 

A princípio o leitor pode ficar desanimado como fiquei, porque a história demora a engrenar, mas depois garanto que não vai querer parar, já que Ezequiel Boone quis criar mais que uma história de terror, ele criou várias histórias. Com narrações sob vários pontos de vista e tramas paralelas que envolvem aspectos extremamente pessoais dos personagens.

“Estamos falando de aranhas. Embora as pessoas morram de medo de aranhas, não há quase nenhum motivo para isso. Pelo menos, não na América do Norte. A Austrália é outra história. Tudo é perigoso na Austrália, não só os crocodilos.”

A cada capítulo a narrativa nos leva a um lugar diferente, em vários lugares do mundo, sob vários pontos de vista . E quando digo “sob vários pontos de vista”, quero dizer que o autor criou uma série de protagonistas em A Colônia.



Por meio de cada personagem, a história retrata como a invasão das aranhas impactou o mundo. Entre os narradores, temos um turista, um agente do FBI, a presidente dos Estados Unidos e a cientista Melanie - especialista em aranhas. 

“Melanie nunca tinha entendido o pânico que as pessoas sentiam de aranhas. Por que todo mundo tinha tanto medo? (...) Talvez isso não fosse extraordinário; as crianças aprendiam a ter medo com os pais. Mas com quem os pais aprendiam a ter medo? Não, ela nunca havia entendido o medo de aranhas. Até aquele momento”.

O leitor pode ficar desesperado com este “artifício” do autor de a cada capítulo estar num lugar...

Uma floresta no Peru, quando o guia leva um bilionário do ramo da tecnologia para passear junto com suas acompanhantes e seu segurança; Minneapolis com um agente federal fazendo sua ronda e tendo seus problemas familiares; na Índia em um laboratório onde uma engenheira não entende muito bem o que vê nos sensores sísmicos; em uma universidade em Washington D.C, onde uma professora especialista em aranhas analisa esses bichos estranhos que chegaram do Peru; na Casa Branca onde a presidente em mais um dia de reuniões, comitês, telefonemas e exercícios militares, é surpreendida pela bomba atômica na China; na pequena província na China onde essa bomba acidentalmente explodiu; na base de fuzileiros navais na Califórnia onde uma militar e sua unidade estão fazendo mais um treinamento; na fronteira entre Afeganistão e Tadjiquistão; em um local na Califórnia onde os sobrevivencialistas montaram suas bases e se preparam para o fim do mundo; em uma ilha na Escócia; em um navio cargueiro; no escritório da CNN em Atlanta; e assim, a cada passagem, novos personagens são apresentados, e conforme sua importância para a trama, o narrador volta ou não a falar sobre eles. 

O que estas histórias têm em comum? O terror. Cada capítulo termina e nos deixa um tanto desesperados.

O autor finaliza a história inteligentemente, aumentando a ansiedade para ler a continuação.

A Colônia é o primeiro livro da trilogia, o segundo, Skitter será lançado em maio nos EUA, vamos torcer para chegar logo por aqui.

Recomendo!



0 comentários: