Grupo Autêntica,

Confira os lançamentos de Outubro do Grupo Autêntica @autentica_ed

19 outubro Larissa 0 Comments





Sinopse

Em 16 de abril de 2013, Jeff Bauman acordou no Boston Medical Center, atordoado após uma série de cirurgias de emergência, e sem as duas pernas. Apenas trinta horas antes, Jeff estava na linha de chegada da Maratona de Boston de 2013, para incentivar sua namorada, Erin, quando a primeira bomba explodiu junto a seus pés. Ao acordar, em vez de parar para pensar em como sua vida se alterara completamente, ele arrancou o tubo de oxigênio e tentou falar, mas não conseguiu. Então, escreveu sete palavras: “Vi o cara. Olhou bem pra mim”, pondo em marcha uma das maiores caçadas humanas da história dos Estados Unidos e começando sua própria jornada de recuperação. Em O que te faz mais forte , Jeff Bauman descreve o caos e o terror do atentado em si e a investigação do FBI que se seguiu, na qual atuou como testemunha-chave. Ele nos convida a acompanhar sua exaustiva reabilitação e narra os desafios e as alegrias que encontrou na tentativa de reconstruir sua vida. Jeff também nos fala da bravura dos outros sobreviventes do atentado. Corajosa, compassiva e envolvente, a história de Jeff Bauman não é só dele, mas de todos nós. Ela prova que as adversidades, por pior que sejam, só nos tornam mais fortes.


Sinopse
Esta é uma história sobre a busca por um futuro melhor e saudosismo pelo passado. Explorando a angústia da imigração e os efeitos duradouros que o deslocamento tem sobre uma criança, Bui documenta a difícil fuga de sua família após a queda do Vietnã do Sul, na década de 1970, e as dificuldades que enfrentaram para construir uma nova realidade. O melhor que podíamos fazer traz à vida a jornada de Thi Bui em busca de compreensão e fornece inspiração a todos aqueles que anseiam por um futuro melhor enquanto recordam o passado de privações.


Sinopse
Viajando como enviado de um jornal italiano, o quadrinista Zerocalcare atravessa os confins da Turquia, do Iraque e do Curdistão Sírio para chegar à cidade de Kobani ao encontro do exército de mulheres curdas, que luta contra o avanço do Estado Islâmico. A partir dessa viagem, Zerocalcare produz uma reportagem de sinceridade pungente, um testemunho indispensável e perturbador que transmite a complexidade e as contradições de uma guerra muitas vezes simplificada pela mídia internacional e pelos discursos políticos. Tudo isso com um tom inimitável, extremamente bem-humorado e ao mesmo tempo tocante – a linguagem e o universo de um autor que sabe como ninguém representar as pessoas, o cotidiano, os medos e as aspirações de sua geração. Blogueiro e autor de quadrinhos com viés autobiográfico, Zerocalcare é um fenômeno editorial de um sucesso sem precedentes na história dos quadrinhos italianos, pronto para conquistar o mundo.

Sinopse
Conhecido por sua sensibilidade, Lufe Gomes, fotógrafo e colunista na revista Casa e Jardim, traz em Life by Lufe: onde vive você muito mais que um livro com fotografias de casas. Aqui ele nos leva a uma verdadeira jornada em busca de formas criativas e singulares de morar. Em uma narrativa fotográfica cativante, ele mostra como vivem as pessoas inspiradoras que encontrou em vários países. A cada visita, as casas se revelam sob seu olhar, e, através dessas imagens, apreendemos a vida, a alma e as histórias de quem vive ali. Com uma impressionante capacidade de captar a essência contida em detalhes quase imperceptíveis, Lufe nos desperta uma nova perspectiva sobre morar e decorar, na qual o bem-estar e as boas histórias pessoais são os elementos mais importantes. Não importa se é uma casa minimalista no Japão ou um ateliê de artistas na Argentina, um loft industrial em Nova York ou uma fazenda na África do Sul, no Peru ou no Marrocos – estas fotografias nos causam muito mais do que a vontade de redecorar nossa casa, elas nos convidam a refletir sobre quem somos e sobre como podemos nos revelar mais verdadeiramente nos ambientes que criamos para viver.


Sinopse
Ele que o abismo viu é uma das versões do mito de Gilgámesh, a que é atribuída a Sin-léqi-unnínni (séc. XIII a.C.), considerada a mais completa e importante dessa tradição acádia, preservada em tabuinhas de argila que foram descobertas entre 1872 e 2014. O texto, traduzido do acádio e anotado por Jacyntho Lins Brandão, traz para o leitor brasileiro a mais ampla reconstrução do poema, que é o mais antigo registro literário que conhecemos. Na tradição que remonta a mais de quatro mil anos, ele é anterior a Homero, a Hesíodo e aos textos bíblicos. Nesse longo (e ainda fragmentário) poema encontramos, já elaborados de forma sofisticada, ideias, valores e leituras do mundo – além de vários mitos que aparecerão na tradição literária posterior, como a criação do homem a partir da argila, o dilúvio e a construção de uma arca para salvar as criaturas, humanos e animais.


Sinopse
Escrito entre 1994 e 1996, este livro de Jorge Larrosa aponta na direção de uma outra forma de pensar e de escrever em Pedagogia: uma forma em que as respostas não sigam as perguntas, o saber não siga a dúvida, o repouso não siga a inquietude e as soluções não sigam os problemas. É um livro totalmente irreverente, transgressivo, erótico e profano, que, mesmo após 20 anos, continua vivo. Para esta edição, foram acrescentados textos que dão continuidade aos caminhos de pensamento percorridos na primeira edição. Esperamos que eles possam tocar como tocaram, em algumas ocasiões especialmente felizes, os que já estavam aqui desde a primeira edição: dessa singular e misteriosa maneira que fez com que algumas pessoas dissessem que ler o livro as tinha tornado livres.


Sinopse
Esta obra, volume 5 da coleção Escritos de Marilena Chaui, nos fazer entender não só o que é a violência, mas também como ela opera em diversas situações – muitas das quais pouco perceptíveis por nós. A violência, tema de investigação e preocupação de muitos pensadores, é também tema que sempre nos captura, pois a reconhecemos em nós mesmos e em nossas relações. Cotidianamente a observamos, mas nem sempre refletimos sobre ela. Em textos que tratam sobre suas formas mais óbvias, como a tortura, passando pelas violências de classe, racial e religiosa, incluindo reflexões sobre ética e direitos humanos, Marilena Chaui amplia a ideia de violência, mostrando que ela é mais do que apenas a violência física e a criminalidade, e apontando situações da vida brasileira em que violência e poder estão unidos.


Sinopse
Atualmente, estamos assistindo a certa dissolução da forma tradicional da escola. A escola, diz-se, já não é o único lugar da educação, e talvez não seja o mais adequado. A escola, diz-se, se transformou em um lugar anacrônico, obsoleto, desagradável e ineficaz. A aprendizagem, diz-se, ultrapassa as fronteiras da escola e se dá em todos os lugares e a qualquer momento. A crítica da escola se tornou um lugar-comum, e a educação ficou sem um lugar próprio. E é agora, neste momento de crítica e dissolução da forma da escola, que queremos repensá-la amorosamente para reencontrar sua especificidade e sua autêntica natureza. Este livro apresenta diversos exercícios de pensamento (textos, filmes e exposições) que tentam trazer ao mundo aspectos da escola, do estar na escola, do ordinário da escola, de uma memória escolar em suas atualizações, do chiaroscuro no cotidiano escolar, de tudo o que ainda faz existir a escola como lócus para um espaço público e um tempo livre.


Sinopse
Escrito para aqueles que procuram se introduzir à experiência intelectual de Lacan, este livro de Vladimir Safatle volta às livrarias em versão ampliada e atualizada. Jacques Lacan foi responsável pela consolidação de uma prática clínica inovadora que compreendia o sofrimento psíquico como déficits de reconhecimento, que via no saber-fazer com seu desejo uma experiência singular e de forte potencial transformador. Este livro, que tem a problemática da clínica como fio condutor, segue o pensamento de Lacan até seu ponto de maturidade, nos anos sessenta. Em uma linguagem introdutória mas rigorosa, Vladimir Safatle explora suas dimensões clínicas, assim como as reconfigurações da metapsicologia.


Sinopse
Quando entramos na Capela Sistina e contemplamos maravilhados a obra-prima de Michelangelo de um ponto de vista puramente estético, alheio a qualquer conteúdo religioso ou moral, atestamos a entrada da arte na dimensão estética, que não existia antes do mundo moderno. Em linhas gerais, esse é o tema de O homem sem conteúdo , onde Agamben apresenta uma vigorosa crítica da dimensão estética da obra de arte. Em Gosto , Agamben volta ao tema, mas promovendo um giro de perspectiva. Trata-se, agora, de entender o gosto como um lugar privilegiado que permitiria mostrar a fratura entre verdade e beleza, entre conhecimento e prazer. Interessa agora o problema da beleza e do prazer (ou do gozo) que uma investigação sobre a faculdade do gosto impõe. Gostar é não apenas um modo de fruir de algo, mas também de conhecê-lo: o sabor é um modo de saber. Que o leitor possa degustar esse novo título e dele extrair um saber que goza e um prazer que conhece.


Sinopse
O título deste livro poderia ser Tudo o que você gostaria de saber sobre Žižek, mas nunca teve paciência ou coragem de procurar em sua interminável obra . Essa obra traz tudo o que você precisa para iniciar a viagem: textos seminais difíceis de serem reencontrados, uma entrevista biográfica, recortes de passagens cruciais e um ótimo posfácio do próprio autor explicando sua enigmática articulação entre Hegel e Lacan. No fim há um ótimo glossário, que é um mapa para começar a viagem. É como um guia de bolso para conhecer o universo na casca de uma noz, mas isso seria totalizar a forma da exposição de modo contrário ao conteúdo das teses. Talvez o enigma e a graça de Žižek, sua força política e sua virulência teórica estejam justamente nisso que o leitor poderá perceber neste livro, ou seja, a invenção de uma nova maneira de publicar, de ser lido e de ser incompreendido.


Sinopse
Dionísio esfacelado (Quilombo dos Palmares): poemas que dizem da saga quilombola, mas não se restringem ao passado; projetam-se para além, numa visão crítica da condição da etnia no processo histórico brasileiro. Um resgate poético da presença e da significação do negro na formação do Brasil. Ao fundo, o bem maior do ser humano, sempre: a Liberdade.

0 comentários: