( Resenha ) Tash e Tolstói de Kathryn Ormsbee @editoraseguinte

Editora Seguinte
Clique na capa para ver as ofertas do livro.

Leia a sinopse AQUI.


Resenha
"Você ri de uma nova música pop horrível até o fatídico dia em que se pega ouvindo vinte vezes seguidas sem nenhuma ironia. Ri da ideia de quiabo frito até a fatídica tarde em que sua família para em uma lanchonete no meio do nada, esse vira seu prato favorito. Ri de palhaços até a fatídica noite em que vê A coisa na televisão e fica traumatizado para o resto da vida."
O livro vai contar a história de Natasha Zelenka, uma jovem que está cursando o ensino médio e que já tem vários planos para o futuro.

Tash, como é conhecida, mora com os pais e a irmã mais velha. Sua irmã está nos preparativos para começar as aulas na faculdade. Muito estudiosa, conseguiu uma bolsa na faculdade dos sonhos de Tash.


"A primeira coisa que você precisa saber sobre mim é: eu, Tash Zelenka, estou apaixonada pelo conde Liev Nikoláievitch Tolstói. Esse é o nome oficial dele, mas, como somos próximos, gosto de chamá-lo de Leo"
"E aqui vai a segunda que você precisa saber sobre mim: sou produtora. Um projeto de produtora, pelo menos. E não, não estou tentando fazer o próximo Cidadão Kane, mas tenho um canal no YouTube com a minha melhor amiga, Jacklyn Harlow, e estamos fazendo uma websérie - uma adaptação contemporânea de Anna Kariênina. Viu só? Fechamos o círculo e, caso não tenha ficado claro ainda, agora você sabe: Tolstói é uma parte muito importante da minha vida."

Tash mora na mesma rua que seus amigos de infância, Jack e Paul, e com eles compartilha a maioria de suas experiências. Inclusive eles são parte importante para a realização de sua webserie baseada em Anna Kariênina, famílias infelizes.

Assim começa a história, com a webserie das meninas alcançando milhares de visualizações após serem mencionadas em um vídeo de uma youtuber famosa. E a partir desse momento elas tem que lidar com a fama, com a pressão de não cair a qualidade do que está sendo entregue e também com os haters (que sempre existem no meio virtual).

"Entro em pânico. Não um único hater, mas nove? Do que não gostaram? Minha voz é irritante? Não se interessam pelo livro original? Por que se deram ao trabalho de marcar que não gostaram do meu vlog? Esse vídeo é uma divagação meio inocente, na verdade. Quem perde seu tempo dizendo que não gosta de divagações inocentes?"

Em paralelo com o desenvolvimento da webserie vamos acompanhar a vida de Tash passando por problemas reais no dia a dia.

"Minha mãe também é uma filha. Ela é humana e tem sentimentos. Feridas profundas nem sempre cicatrizam."

Problemas com sua irmã que vai para a faculdade e começa a se afastar de todos da casa e quase nunca ficar em casa. Problemas com os pais que não compreendem algumas mudanças. Problemas com os amigos por conta de toda a "pressão" que anda recebendo. Dúvidas com a relação com um menino que acredita ser especial. Problemas com a sua sexualidade ou melhor a falta dela.

"Ainda assim, independente de quantos posts e respostas eu lesse, quantos termos como "assexual", "área cinza", "alossexual" aprendesse, quanto apoio todo mundo nesses fóruns oferecesse, eu nunca consegui me convencer de que estava tudo bem. De que o jeito que eu me sentia era normal e não ia mudar. De que fazia parte de quem eu sou. Como eu podia gostar de garotos - querer que me convidassem para sair, me abraçassem, dissessem que gostavam de mim e até que me amavam - e não querer fazer sexo? E se todo mundo nesses fóruns só estivesse... confuso, como eu?""Sexo é uma parte da vida como qualquer outra. Somos seres sexuais.Tudo o que eu consegui pensar era: Eu não sou. Por quê?"

Acontece que a protagonista do livro é assexual, ou seja, ela não possui interesse sexual nem por homens nem mulheres. Sexo é uma coisa que não passa na cabeça de Tash, de forma alguma.

Confesso que este foi um dos motivos para minha ansiedade em realizar essa leitura. Ainda não tinha lido nada sobre assexuais e achei bem interessante fazer a leitura e posteriormente aprofundar no assunto.

O tema não é abordado tão profundamente, mas serve como start para a curiosidade e posterior procura após a leitura. O que temos na história são as dúvidas e situações que a protagonista passa por ser assexual.

"Não reclamaria se houvesse uma autoridade cósmica com o poder de estabelecer um limite nas pancadas que uma pessoa leva em uma única vida."
Outro tema bastante abordado pelo livro é a comunidade da internet, youtubers e blogs são várias vezes citados, bem como as alegrias e "chateações" que passam quando resolvem fazer conteúdo para internet.

"Meu peito tinha acabado de se refazer quando explodiu uma segunda vez. Abro um sorriso que toma conta do meu rosto, fazendo minhas bochechas de reféns. Muito orgulhoso. Isso significa alguma coisa quando vem de Thom Causer, um youtuber famosinho. E ele quer meu celular. Thom Causer pediu meu celular."
A amizade entre Tash e os irmãos também é uma coisa muito bonita de acompanhar durante a leitura. O fato das famílias acabarem se unindo por conta das crianças e a amizade amadurecer com o passar dos anos foi bem escrita pela autora.

Recheado de temas atuais e reais, a autora consegue desenvolver a história de maneira empolgante fazendo com o leitor devore página atrás de página. Sem perceber você já estará finalizando mais uma história que rende pesquisas posteriores.
"Mas, afinal, existe uma hora boa para essas coisas acontecerem? Quando é um momento oportuno para más notícias?"

Nenhum comentário

Postar um comentário

© BLOG CLÃ DOS LIVROS- TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Design e Programação por