5 Estrelas,

( Resenha ) O Rei - Livro 12 da Série Irmandade da Adaga Negra de J. R. Ward @univdoslivros

18 dezembro Ingrid 0 Comments

Editora Universo dos Livros

Leia a sinopse AQUI.

Clique na capa e saiba onde comprar o livro
 

Resenha

O Rei é o décimo segundo livro da Série Irmandade da Adaga Negra, que foi publicado no Brasil pela Editora Universo dos Livros. 



“... sua mente pouco se importava com tal prova da sua recente coroação... Ou talvez fosse seu coração que continuasse a sofrer influência por tudo aquilo que agora o definia.”

No Preâmbulo, o leitor é transportado para o Século XVII, Antigo País, quando os pais de Wrath se conheceram. O pai de Wrath relutou durante séculos em assumir o trono, mas acabou forçando-se a aceitar seu destino depois da morte do grande regente. Deste modo, estavam sobre ele as vestimentas sagradas do rei dos vampiros, que consistia em um cinto repleto de joias, um manto de seda e as adagas cerimoniais. No entanto, sentia que precisava de mais tempo para aprender o necessário. 


Ele conheceu Anha e ela se tornou sua companheira. Estava certo de que havia encontrado sua Shellan, portanto, renegou os velhos costumes que consistiam no Rei ter mais do que apenas uma companheira. Assim sendo, houve muita discórdia entre os conselheiros. 


“Quando ele se virou para ela, ela inspirou profundamente.”

Em Manhattan, Meatpacking District, nos dias atuais, Wrath tinha Beth como sua única exceção, a única pessoa que conseguia enfiar um pouco de sensatez na cabeça dele quando estava verdadeiramente irritado. Todavia, não seria nada fácil continuarem juntos. 


Certos membros da aristocracia sentiam-se empenhados em derrubar o poder de Wrath. Afinal, havia uma antiga lei que determinava que o Rei deveria gerar somente proles puras, sobretudo, porque se tratava do último vampiro puro-sangue no planeta. Logo, como Beth era mestiça, Wrath não poderia permanecer como Rei. 


“O beijo que a assolou foi brutal, e ela queria que o fosse, a língua de Wrath invadindo sua boca enquanto ele entrava de costas pela abertura da porta do esconderijo secreto deles.”


Wrath só queria defender o que achava certo, portanto, vinha alterando antigas leis discriminatórias. Deste modo, fazia coisas boas, conduzindo seus seguidores para um mundo moderno. Ele aboliu a escravidão de sangue e criou lares para mulheres molestadas e seus filhos, assim, mantinha-se justo. 


“Às vezes as pessoas tinham sorte.E enquanto continuava abraçando-a, ele soube que faria bem em se lembrar disso. Contanto que tivesse aquela fêmea ao seu lado?Ele superaria qualquer coisa.”

Entretanto, como se já não bastassem todos os problemas que ocupavam bastante a mente de Wrath, Beth estava decidida a ter um filho. Contudo, ele não pensava da mesma forma e o modo como reagiu ao desejo de sua amada, acabou estremecendo as estruturas do relacionamento deles. 


Em meio a toda essa trama, os conflitos aumentaram, e o amor de Wrath e Beth foi colocado à prova. Porém, ela se impôs, não permitindo que ele tomasse todas as decisões sozinho. E, enquanto isso, Wrath fazia todo o possível para continuar no trono.

“Ela só queria um pedacinho seu e de Wrath – e quanto mais perigosas ficavam as coisas com o Bando de Bastardos, mais desesperadora se tornava essa necessidade.” 

Um romance extremamente envolvente e impactante, repleto de cenas quentes, violência e drama, com uma pitada de ação, tudo na medida certa. Sendo os acontecimentos mais importantes envolvendo disputas políticas, o que tornou a história ainda mais interessante.  

Narrado em terceira pessoa de forma calma, porém, profunda. Este livro transporta facilmente o leitor para dentro de uma trama fascinante, que instiga e desperta muitas emoções.

São inseridos alguns flashbacks dos momentos da origem de Wrath, mostrando o quanto pai e filho são parecidos. Todos os irmãos são mencionados no decorrer do livro e, deste modo, podemos conhecer mais a fundo cada um deles e suas intenções. 

Pode-se ver também um pouco do desenvolvimento de Trez e Selena, assim como, de Assail e Sola. Já X-Cor e Layla aparecem bastante, mas ainda tem muito para evoluir, porém, os momentos deles são maravilhosos.  


A escrita da autora é intensa e ritmada. Os personagens são muito bem construídos, com momentos de pura emoção. Tudo se encaixa de forma surpreendente. 
 

A capa é linda, sombria e atraente. A diagramação é simples, mas ótima. A revisão é exemplar.


Dou cinco estrelas e com certeza recomendo para quem é fã da Série!!!

0 comentários: