4 Estrelas,

( Resenha ) Aluga-se um Noivo - Livro 1 da Série Os Di Piazzi de Clara de Assis @EditoraCharme

25 janeiro Fabi Carvalhais 0 Comments


Editora Charme

Clique na capa e veja onde comprar

Resenha

E minhas aventuras continuam! Dessa vez, acompanhei uma mocinha desesperada para alugar um namorado. Super me diverti com ela, mesmo a estória sendo um clichê ambulante. Isso é ruim? Não, não mesmo. Até o mais duro dos corações acaba se derretendo por um clichêzinho de vez quando. 😉

Débora está em busca de um homem lindo, inteligente e carismático para acompanhá-la a um casamento e se passar por seu namorado. Acontece que o noivo - que, no caso, é o seu irmão caçula - convidou seu ex-namorado para ser um dos padrinhos. Não só o ex, mas o ex E sua atual namorada. Para deixar as coisas ainda piores, essa atual namorada é uma ex-amiga (é muito ex, né?) de Débora. Ela deixou de ser sua amiga quando foi pega em uma situação bem constrangedora com o então namorado de nossa mocinha.


A ideia é contratar um garoto de programa para representar o papel, e venhamos e convenhamos, essa é uma ideia bem maluca, mas no fim, tudo acaba dando certo. Débora e sua amiga Carol "dão um Google" e encontram o homem ideal para se passar pelo "namorado perfeito": sexy, saradão e bem dotado - se é que me entendem.


Elas entram em contato com o tal homem imediatamente, e ele, sem pestanejar, logo pede seu endereço para que possam combinar tudo o que tem que ser feito. Quando ele aparece, Débora tem uma grande surpresa, pois aquele cara bonitão não é tão estranho assim. Eles se esbarraram ainda naquele dia numa livraria, e vê-lo ali, em sua porta, oferecendo seus préstimos, foi demais para os seus nervos. Graças à Carol, que tomou a frente da situação e combinou tudinho com o boy magia, Débora tinha um namorado para apresentar às amigas e para acompanhá-la no casamento. Só que Carol acaba dando um pequeno vacilo, e de namorado, Theo é promovido a noivo.

O que era para ser simples acabou ficando complicado demais. Ao invés de aparecer em alguns eventos ao lado de Débora, agora Theo teria que fingir viver com a moça, se envolver mais do que gostaria, mas ainda assim, ele topa. Essa proximidade faz com que os sentimentos entre eles nasçam lentamente - aliás, no caso de Débora não foi tão lentamente assim -, e pouco a pouco, o amor está no ar. Mas antes do "quase felizes para sempre" (quase porque nenhum casal de verdade é completamente feliz, afinal), alguns mal entendidos acabam afastando o casal, mas uma boa dose de ousadia e um bate papo animado e esclarecedor acabam por resolver todos os problemas.


Aluga-se um noivo não é o tipo de livro que tem uma história complexa e um romance cheio de percalços, apesar de a mocinha sempre arrumar um milhão deles. Ele tem uma narrativa leve e divertida, que te envolve de tal maneira que é quase impossível de largar! Eu fiquei deveras irritada com o mimimi de Débora em relação a todas as investidas de Theo, e fiquei bem chateada com a pequena mudança de personalidade que ele sofreu no decorrer da trama - no início ele era um cavalheiro, educado, culto, enigmático e romântico. Depois, passou a ser meio engraçadinho demais e boca suja. Mas no fim, os mimimis foram superados, as gracinhas também, e eles tiveram um final digno. Adorei o fato de a autora não ter fantasiado demais ao narrar o final do casal. Ela foi bem realista. Mostrou que podemos ter alguns probleminhas com a família do nosso companheiro, mostrou que na vida de casado nem tudo são flores, e que a gravidez não é só glamour e alegria. Tudo tem suas dificuldades. Só sobrevive a elas aquele casal que realmente quer ficar junto, que realmente se ama e se respeita.

Os personagens foram bem desenvolvidos e suas personalidades foram feitas com o objetivo de nos divertir e nos deixar apaixonados. A Débora, mesmo com toda a chatice de alguns momentos, é divertida, sabe o que quer e mesmo que a ficha demore pra cair, ela luta pelo que ela quer. Theo é aquele tipo de homem que toda mulher que ter em sua vida: um cara que cuida, que dá carinho, que se faz presente de alguma forma. Fiquei irritada com ele por diversas vezes também, mas ainda assim, gostei bastante do personagem. Mas minha preferida foi a Carol. Gente, que mulher sensacional! Engraçada, bem resolvida, alto astral, maluquinha da Silva. A cada aparição da moça, meu coração gritava "Ei, Carol! Quer ser minha amiga?", rs!


Encontrei alguns erros, mas nada que prejudique a leitura. Algumas palavras foram "comidas", bem como algumas letras, mas como a narrativa é bem simples e fluida, não fiquei incomodada. Pode ser até que esses errinhos passem despercebidos pela maioria dos leitores. Achei a capa meio esquisitinha, mas é condizente com o conteúdo, então não vou implicar muito com ela. Mas acho que faltou um bocadinho mais de criatividade. #SoAcho

E só para fechar: cá temos mais um hot que não é vulgar. Meu maior medo de ler algo do gênero sempre foi encontrar vulgaridades demais, mas mais uma vez, não foi o caso. Se você tem o mesmo receio que eu, pode se jogar na leitura, sem medo. E se você está afim de um livro leve para te divertir, se joga sem medo também!



0 comentários: