4 Estrelas,

( Resenha ) Escândalos de Elisabeth - Livro 1 da Série Família D´Arsac de Eléonore Fernaye @EditoraBezz

11 fevereiro Bianca Gonçalves 0 Comments

Editora Bezz
Selo Leque Rosa

Clique na capa e veja onde comprar o livro

Leia a sinopse AQUI.

Resenha

Há tempos eu não lia um romance de época, então a Marissa me presenteou com essa obra. Ela me conhece muito bem, pois não poderia ter escolhido outra melhor. 😄

Neste livro, o primeiro da série A Família D'Arsac, fazemos uma viagem ao passado, na romântica Paris de 1778. Época em que apenas algumas mulheres da nobreza tinham acesso ao conhecimento. Época ainda em que a mulher precisava se manter submissa, delicada, não podendo de forma alguma participar de todos os assuntos aos quais os homens falavam. E ainda, período ao qual a mulher tinha de se casar muito cedo.

Elisabeth Arsac é uma nobre francesa, jovem, muito bonita. Conhece todas as regras impostas pela sociedade tão machista, mas é contra todas elas. Inclusive, contra o matrimônio. Ela não acredita nessa baboseira de amor, e em sua concepção, a mulher se torna fraca quando se apaixona. Abomina o fato de precisar se casar, pois não quer ser submissa a homem nenhum.


Sua mãe fica enlouquecida com a personalidade e os pensamentos "escandalosos" da jovem.

"Do que adianta eu estar apaixonada? Ficaria apenas devaneando, desperdiçando tempo que poderia usar para algo útil."
Certo dia, ao ir a um baile de máscaras com sua melhor amiga, Elisabeth conhece um homem que foi capaz de mexer com seus sentidos. Mascarada, num ambiente em que não seria reconhecida facilmente, tomou as rédeas da situação e fez o que uma mulher jamais poderia fazer (isso nas regras da sociedade): corajosa e dona de si, deu o passo inicial para conquistar o misterioso cavalheiro.

Rendida por um desejo até então desconhecido, ela se envolveu nas carícias do homem, não se importando com o que ele iria pensar dela, afinal jamais iriam se encontrar novamente...

Henry é um americano que estava em Paris por motivos desconhecidos. Tinha uma amizade muito estimada com Louis. Ficou encantado e ao mesmo tempo encabulado com a jovem Elisabeth. Não seria nada cortês trocar as carícias que trocaram num camarote de um baile de máscaras... mas em sua mente, eles nunca mais se cruzariam.

Até que seu amigo tão estimado Louis o convida para um jantar em sua casa. E imaginem a surpresa de Henry ao perceber que a irmã de seu amigo era ninguém mais ninguém menos, que a dama mascarada do baile.

Elisabeth ficara sem reação. Como poderia imaginar que Henry a reconheceria? E o pior, como poderia imaginar que ele seria próximo justo de seu irmão?

A situação piora com o fato da atração mútua que existe entre eles. Henry acredita que precisa honrar sua postura de homem pedindo a mão de Elisabeth em casamento, e a dama por sua vez, não quer nem saber de passar sua vida presa a um homem, mesmo que esse seja o único que fez sentimentos brotarem em seu coração.

"(...) não podia deixar-se apaixonar, pois se isso acontecesse, não seria mais capaz de usar a cabeça."
Qual seria o desfecho dessa história?


Narrado em terceira pessoa, com uma diagramação delicada; o romance traz uma personagem inovadora. Elisabeth se porta como uma feminista e isso é lindo de se ler!

"(...) acredito que uma mulher não é mais tola do que um homem, e, portanto, pode aprender as mesmas coisas. Elas são muito mais do que o que dizem as teorias ridículas de que só pensam em amor."
Outro ponto forte da trama, são os diálogos entre a mocinha e Henry. Inteligentes, desafiadores, mas ao mesmo tempo cheios de romantismo, que fazem até mesmo um coração trevoso como o meu ficar todo quentinho.

Existem alguns clichês sim, que em alguns momentos me deixaram entediada. Porém, foram momentos curtos, que logo foram substituídos por risos e suspiros. A trama é leve, gostosa de ser lida, e agrada facilmente quem aprecia os romances de época.

Recomendo e estarei ansiosa pela publicação dos demais livros da série.



0 comentários: