#leiaseja,

Leia.Seja - Vamos falar sobre livros! #leiaseja @editoraarqueiro

25 abril Bianca Gonçalves 0 Comments


Falar sobre livros é um caminho sem volta. Eu posso dizer que, enquanto blogueira, escrevo para leitores. Acabamos por influenciar e encorajar mais leitores a não pararem nunca de ler.

Mas como propagar a leitura para aqueles que não leem? Como incentivar novos leitores? E me refiro aos não-leitores por opção!

Os livros são vistos por muitas pessoas como algo "chato", uma "obrigação". Ouço coisas como: "eu lia na escola porque era obrigado".

É estranho ouvir essas coisas, pois vejo a leitura como um lazer inestimável. Claro que não serei hipócrita em afirmar que nunca li nada por obrigação. Já li sim, porém algumas delas foram tão prazerosas que agradeço essa obrigatoriedade.

Incentivar uma criança a ler pode ser mais fácil que um adulto. A criança ainda está iniciando seus hábitos, um pouco de jogo de cintura e paciência poderá fazê-la amar esse mundo. 

Já um adulto é mais complicado. Não entendo o que faz um livro ser tão taxado como "coisa de nerd". 

Os não adeptos à leitura jamais saberão o que é se apaixonar por um personagem literário. Oras, eles até acreditam que somos malucas por afirmarmos isso, mas aquele lance de borboletas no estômago que sentimos pelos personagens literários "crushes" não acontece na vida real. Isso porque é uma combinação de imaginação e envolvimento, coisa que a realidade pode não ter. E daí se ele não existe? Ilude-se menos quem nutre uma paixonite por um personagem fictício.



Posso soar solitária ao afirmar isso. Mas você, leitor, sabe que tenho razão. E aquele que não lê, repito: jamais saberá o que é esse sentimento.

Os não adeptos à leitura jamais sentirão aquele alvoroço ao receber aquele livro tão esperado pelo correio. Eles não entendem o que é você ir de minuto em minuto num site verificar o rastreio e esperar no portão da sua casa o carteiro com seu pacote. Ahhh esse sentimento! Se eles soubessem o quanto o coração acelera ao abrirmos o pacote e darmos de cara com ele, o seu próximo amor, denominado livro. Você leitor, sabe do que estou falando. Mas infelizmente, se você não lê, não vai compreender esse sentimento.

Eu sinto pena de quem não tem um livro para recorrer quando o mundo real está uma droga. Ok não-leitores, vocês poderão me dizer que tem uma infinidade de outras coisas para recorrer, mas é porque não conhece o tipo de paz que a leitura proporciona. Aquele momento em que estamos lendo, seja sozinhos dentro do quarto, em movimento no ônibus lotado, ou até mesmo sentados num banco qualquer com pessoas passando; é inexplicável. Não percebemos o que está acontecendo ao redor, o livro nos pega, nos transporta. Não é distração. É envolvimento. E não há nada que promova maior escape que a leitura. O leitor concordará comigo. O não-leitor não será capaz de opinar. 

Posso apostar que o não-leitor sente uma ponta de inveja quando seu amigo "lunático" afirma que o filme que assistiram no cinema não chega aos pés do livro (que ele leu anos-luz antes de se pensar em adaptação). Aliás, sabemos exatamente qual será o desfecho do filme. E nesse caso, agradeço a existência de não-leitores, afinal, é maravilhoso estar um passo à frente. 

Como vivem os que não leem? Fico refletindo sobre isso. Como é não se emocionar ao visitar uma livraria? Não delirar com o cheiro de um livro novo? 

Claro que existe uma vantagem em não ler. Os não-leitores não ficam frustrados quando não podem comprar todos os lançamentos de livros, não ficam ansiosos ao constatarem que morrerão sem ler todos os livros que desejam, e eles não tem mais livros do que realmente conseguem ler.

Mas querem saber? Eu prefiro mil vezes viver essas pequenas desvantagens que o leitor enfrenta. As vantagens em ser leitor são muito maiores. E não. Não desdenho dos não-leitores. Só não compreendo como é viver apenas de realidade. Eu vivo de sonhos, e são os livros que os preenchem.

O dia do livro é comemorado no dia 23/04. Os não-leitores não vêem nada significativo nisso. Os leitores... bem, para nós é só uma data para frisar nosso amor, já que em nosso mundo, todo o dia é dia do livro!


0 comentários: