4 Estrelas,

( Resenha ) Quando as Estrelas Caem - Livro 1 da Trilogia Starbound de Amie Kaufman & Meagan Spooner @Novo_Conceito

20 maio ATITUDE LITERÁRIA / Biia Rozante 0 Comments

Novo Conceito

Leia a sinopse AQUI.

Resenha

Estou buscando as palavras corretas, a melhor maneira de chegar aqui e me expressar para falar deste livro INCRÍVEL e envolvente, mas elas simplesmente parecem sumir. Se pudessem me ver neste momento iriam se deparar com uma maluca falando sozinha e gesticulando sem parar porque está muito empolgada. QUANDO AS ESTRELAS CAEM superou as minhas expectativas, me levou por uma viagem intergalática repleta de aventura, angustia e emoção. Estou torcendo para que você também embarque e assim como eu se surpreenda.

Lilac sempre teve tudo ao alcance de suas mãos. Filha única do empresário intergaláctico mais importante do ramo, nasceu abastada e cheia de regalias. Mimada, cheia de si, confiante e por diversas vezes cruel, Lilac encontrou na indiferença e na arrogância seu meio de defesa para lidar com o mundo a sua volta. Apesar de aparentar viver em um mundo perfeito, a verdade é outra bem diferente. Cercada por seguranças aonde quer que vá, Lilac tem sua privacidade constantemente invadida, sabe que as pessoas se aproximam apenas por interesse e que todos temem seu pai, ela mesma sabe até onde ele pode chegar e evita ao máximo o aborrecer, mesmo que para isso tenha que sacrificar suas próprias vontades.

Tarver odeia ser o centro das atenções, mas é difícil passar despercebido quando se é um Major condecorado do exército aos dezoito anos. Um herói de guerra que estampa capas de revistas e os noticiários mais importantes. Um jovem sábio, inteligente e comedido. Um soldado em cada poro, sempre preparado e pronto para agir. Observador.

“(…) Gostaria de confessar que o que eu digo e o que eu quero dizer nunca são a mesma coisa, porque não podem ser.” 

Dois mundos completamente oposto que colidem. Mundos que jamais sequer se esbarrariam em circunstâncias normais, coexistindo no mesmo espaço. A nave Icarus foi projetada para transportar cinquenta mil pessoas ao mesmo tempo pelo hiperespaço na velocidade da luz. A mais moderna e luxuosa nave existente. Entretanto, nem mesmo toda sua grandiosidade foi capaz de evitar uma terrível tragédia – Sim, praticamente o "Titanic" do espaço. Presos em um capsula de escape, Lilac e Tarver são obrigados a ignorar a repulsa que sentem um pelo outro e trabalharem juntos para quem sabe, conseguirem sobreviver, mas tudo é incerto e perigoso.

Icarus é arrancada do hiperespaço e eles arremessados para longe, caindo em um planeta deserto e selvagem, que a princípio parece totalmente inabitável. Nada naquele planeta os leva a acreditar que serão resgatados e eles precisarão aprender a conviver, a usar o que o outro tem de melhor e seus conhecimentos, para então serem capazes de sobreviver. É uma luta constante entre a emoção e a razão, cada um mergulhado em suas crenças, medos e incertezas. É um passo para frente e dois para trás, nada é fácil e eles estão sozinhos, ou não.

“Fico ali, parado, em pé, com o olhar fixo, incapaz de levantar os pés. Quando se tem tão pouco a perder, até mesmo a menor das perdas parece um golpe no corpo.”

Que livro sensacional. Explicando o enredo de maneira tão superficial parece apenas mais uma história previsível, mas não é, somos levado pelo inesperado a cada novo capítulo e o final é de roubar o fôlego. Não posso me estender na história porque tudo seria um grande spoiler. Porém posso garantir que o livro é muito mais do que parece. Mistérios, segredos, suspense, tramas, poder…

“A raiva é um escudo, e, se eu abandoná-la, o escudo irá se estilhaçar.”
As autoras mergulham de verdade naquele planeta, abordando como ele teria sido descoberto, criado e então abandonado, apesar das semelhanças com os outros planetas, aquele parece ter uma presença diferente, que ronda os protagonistas ao longo de cada passo que eles dão. E todo esse mistério, sussurros, sensação de perseguição, os leva a questionar sua própria sanidade e até mesmo a nossa. O que demonstra o tamanho do talento de ambas em nos envolver e viciar. Conforme avançamos na leitura mais difícil fica parar, as nossas teorias vão caindo por terra e tudo que passamos a desejar é saber como essa eletrizante história vai terminar.

“Não se menciona a morte quando ela está pairando perto de alguém que a gente ama. Não se deseja atrair a atenção do ceifador.”

Amei o modo como as autoras estruturam a narrativa, os capítulos são intercalados pelos pontos de vistas da Lilac e do Tarver. E é notória as diferenças entre eles, suas personalidades, anseios e desejos, a maneira como entendem a situação e o modo como agem a partir dali. Gostei do toque de vulnerabilidade, as características que tornaram os personagens reais. Outra coisa que amei no enredo foi a construção da relação entre os protagonistas, uma vez que eles precisaram se redescobrir, compreender um ao outro, desabrochar, amadurecer realmente, tudo muito estruturado nos detalhes, nos pequenos toques, sorrisos, vislumbres e força. O que só aumentava nossa expectativa pelo que estava por vir.

“(…) Como se vive de novo quando se saber o que o espera no fim?”

QUANDO AS ESTRELAS CAEM, é uma história de sobrevivência e amor, de amadurecimento e transformação. De se despir daquilo que os outros querem que sejamos e aceitar nossa verdadeira forma. De ceder, de confiar, de se entregar. É um livro sobre consequências.

Confesso que pra mim nem tudo foi perfeito. Em determinado momento da história queria apenas acelerar algumas páginas pois estava começando a soar repetitivo, mas nada que chegou a atrapalhar o desenvolvimento da leitura. Todo o mistério envolvendo a queda da nave e aquele planeta desconhecido realmente prendem o leitor do início ao fim.


Pelo que pesquisei, QUANDO AS ESTRELAS CAEM é o primeiro volume da Trilogia Starbound, e cada livro traz um casal diferente e se passa em um tempo diferente, porém acabam se completando e respondendo a todos os questionamentos ao longo de cada história. Por isso é muito importante ler os livros na ordem correta. Vamos torcer para que a Novo Conceito publique todos e LOGO

Preciso deixar aqui meus parabéns para a NOVO CONCEITO, capa linda, que transmite com perfeição um momento importante da história. Diagramação simples e impecável.

Enfim, deem uma chance para o livro. Se você gosta daquele toque de ficção científica, de romance “proibido”, mistérios e de ser surpreendido, fica aqui uma ótima dica de leitura.

Beijos, até a próxima!

0 comentários: