5 Estrelas,

( Resenha ) Submissa - Livro 1 da Série The Enforcers de Maya Banks @grupoautentica

10 maio Ingrid 0 Comments

https://www.saraiva.com.br/submissa-serie-the-enforcers-vol-i-9524152.html?p=submissa&ranking=1&typeclick=3&ac_pos=header
Editora Gutenberg

Leia a sinopse AQUI.

Resenha



Submissa é o primeiro volume da Série The Enforcers da autora Maya Banks, que certamente é inesquecível. Ansiosa pela continuação!

 “Evangeline respirou fundo, estufou o peito e se olhou no espelho. Ela estava mesmo bonita. Não chegava a ser atraente como as amigas tinham dito, mas não estava feia. Estava acima da média, ainda que devesse isso ao toque mágico das meninas, com seus cosméticos e penteado. 
— Sim — ela murmurou. — Estou pronta.”



Depois do namoro de Evangeline com Eddie ter chegado ao fim, quando ela se deu conta de que ele era na verdade um completo idiota sem noção, as amigas, Lana, Nikki e Steph a incentivaram a entrar na boate Impulse sozinha, como se fosse a dona daquele maldito lugar. 

Entretanto, ela se sentia incapaz de fazer aquilo, sobretudo, porque era uma ex-virgem de 23 anos de idade tão sem jeito quanto alguém poderia ser. Recém-saída da fazenda, com um sotaque sulista que fazia os nova-iorquinos revirarem os olhos. 

Evangeline se sentia como um peixe fora d’água. Se não fosse por seus pais, ela com certeza voltaria para casa para trabalhar por lá. 





“— Querida, o objetivo desta noite é ver o Eddie. Ou então que ele te veja e possa dar um chute no próprio saco pelo que perdeu — Nikki lembrou a amiga.”





Tudo o que as amigas estavam fazendo por Evangeline naquele momento, ela já tinha feito por elas. Mas não estava acostumada a receber ajuda. 

Evangeline não saia com muitos caras. Aliás, não tinha saído com ninguém em seus dois primeiros anos na cidade, após se mudar do pequeno município localizado no Sul onde nasceu e foi criada. Tinha focado muito no trabalho, em fazer turnos extras, e em juntar o máximo de dinheiro possível para mandar para a mãe.

Só aceitou sair com Eddie depois que ele foi ao bar em que ela trabalhava como garçonete e voltou, noite após noite, insistindo até vencê-la pelo cansaço. Ele veio com tudo muito rápido, mas Evangeline tinha resistido. Mas, percebia que ela não havia sido nada além de um desafio para ele. 


“Drake hesitou: ela o fascinava. Havia algo naquela garota, mas ele não sabia dizer com exatidão o que era. Observou atento quando ela, hesitante, foi até o bar, onde recebeu uma piscadela e um sorriso de Drew, seu barman. Um homem que, de repente, ele sentiu uma vontade urgente de demitir, apenas porque estava paquerando aquela feiticeira de olhos azuis.”


Drake Donovan até aproveitava quando queria. Mas, nunca tinha ficado com a mesma mulher por mais de uma noite e havia dois lugares onde nunca as levava: seu escritório na Impulse e sua casa. 

Ele tinha padrões rigorosamente específicos para as mulheres que levava para a cama e o número um era que elas tinham que ser submissas e deixá-lo com o controle total. Assim sendo, estava no controle de cada aspecto de seu negócio e de sua vida pessoal. Então, quando Drake queria uma mulher, nunca precisava ir muito longe. 


“Mulher nenhuma dava as cartas com ele. Nunca. Quando queria algo, ele pegava. Estava no controle. Sempre. Sem exceção. Para nenhuma mulher. Nem para ninguém. E planejava seguir assim.”


Tudo em Evangeline fascinava Drake. Mas, ainda assim, ela era completamente o oposto daquelas com quem ele costumava transar. E, a julgar pelas muitas encaradas de apreço masculino e pelos olhares claramente hostis das mulheres, ele não estava errado em suas impressões. 


“O olhar dela foi atraído para os lábios dele. De novo e de novo. Depois de perceber uma característica diferente, seu olhar voltava rapidamente para os traços definidos de sua boca, e ela sentia tudo formigar imaginando como seria ter aquela boca em sua pele.”


Drake desejava Evangeline como nunca desejou outra mulher. Portanto, faria todo o possível para protegê-la e para mantê-la em seus braços. Mas, ele jamais seria o homem certo para ela, pelo menos no aspecto romântico. 


“Ela soltou um suspiro delicioso. Aquela boca. Deus, mas ela estava tão certa antes sobre a boca e os lábios dele, e agora que tinha experimentado a língua, de repente sua atenção não estava tão focada nos lábios.

O gosto e o cheiro dele eram divinos. Quente, alfa, homem durão. Arrogante. Confiante. E tão gostoso que ela não conseguia compreender como estava ali, em seu escritório, enquanto ele a beijava completamente, de uma maneira que nunca havia sido beijada antes.”

No entanto, tudo se desenrolou rapidamente até chegar a um final inesperado e extremamente chocante. Deste modo, houveram muitos momentos de tensão absoluta, que provaram o relacionamento complicado de Drake e Evangeline. 

Um romance erótico extremamente profundo e avassalador. Narrado em terceira pessoa, proporciona maior conhecimento sobre os personagens e os acontecimentos. 

A escrita da autora é intensa e envolvente. Toda a trama é construída de forma emocionante e muito marcante. 

A capa é linda e minimalista, com uma capa que remete ao luxo e a sedução do universo BDSM. A diagramação é simples e a revisão exemplar. 

Dou cinco estrelas e recomendo para quem é fã do gênero!!!

0 comentários: