5 Estrelas,

( Resenha ) Ele - Quando Ryan conheceu James - Livro 1 da Duologia homônima de Elle Kennedy e Sarina Bowen @EditoraParalela

24 junho Clã dos Livros 0 Comments

Editora Paralela

Resenha

"Ele" é o primeiro livro da duologia homônima escrita por Elle Kennedy e Sarina Bowen. Um romance homo afetivo apaixonante e quente que só. 

Como na (maravilhosa) série Amores Improváveis de Elle Kennedy, estamos no universo dos jogadores de hóquei. Saiba mais sobre a série AQUI.



Ryan Wesley e James Canning se conheceram ainda crianças e cresceram juntos vendo-se todo verão no acampamento de hóquei. Ambos se consideravam melhores amigos e se divertiam juntos, até que em um determinado verão uma aposta acabou mudando tudo entre eles e Wes se afastou, sem nem mesmo responder as mensagens e telefonemas do amigo. 

"Minha vida é caótica desde que consigo lembrar, e sempre tive que lidar com isso sozinho. As críticas dos meus pais, a confusão com a minha sexualidade. Mas, por seis semanas todo verão, eu não estava sozinho. Tinha Jamie, meu melhor amigo, meu porto seguro."

Quatro anos depois a vida dos dois mudou bastante, mas Jamie ainda se pergunta porque Wes partiu desfazendo a amizade. Como goleiro de hóquei, os treinos são firmes e ele não tem interesse em ter uma namorada, mas mantém uma amizade colorida com Holly. 

Wes é um dos jogadores mais importantes de seu time, e tudo indica que sairá da faculdade com um bom contrato. Ele é gay e se deu conta disso enquanto crescia. Depois de uma aposta com Jamie, seu melhor amigo, por quem nutria uma paixão proibida, Wes acabou se afastando com vergonha e nunca mais o procurou. 

Mas um campeonato em comum vai reaproximar os dois. Eles se reencontram e dessa vez Wes quer se redimir e se desculpar. Os dois voltam a se falar e acabam se encontrando de novo no acampamento de hóquei onde se conheceram. Ambos são agora técnicos dos mais jovens e vão conviver muito. É a oportunidade de reaproximação que Wes esperava, mas a princípio ele só pensava em refazer os laços de amizade, porém com o tempo, ambos foram sentindo que algo mais forte estava acontecendo entre eles. 

Imagine dois homens muito gatos, fortes, cheios de testosterona e que tem uma forte amizade construída ao longo de anos. Muita atração. Gente... um vulcão em erupção. 


Jamie acaba sentindo-se muito atraído por Wes e os dois iniciam um relacionamento bem interessante. Mas para Wes qualquer tempo com Jamie é um misto de felicidade e tristeza, já que pensa que o amigo só está experimentando a novidade de transar com um homem e no final acabará voltando ao que sempre foi. 

"Jamie acha que só estamos nos divertindo. O bom e velho Wes e suas brincadeiras. Mas o jogo mudou para mim essa noite. E se eu deixar que saiba o quanto quero que fique ao meu lado na cama, vai mudar para ele também."

Jamie demora para se dar conta, mas percebe que sua atração por Wes cresce a cada dia. O tempo que passam juntos é interessante, excitante e todos os bons momentos da amizade estão de volta. Mas e agora? O que farão? Os dois tem dúvidas de como o outro encara o relacionamento que estão tendo. 

"Eu ... acho que talvez queira fazer isso de novo. Quão fodido é isso? Estava preparado para encarar a noite de ontem como uma experiência. Uma prova. Não achei que fosse tirar dez com louvor na porra toda."

Eu me envolvi demais por esses dois gatos e senti aquela inveja enorme por pensar em tanta gostosura. O enredo é interessante e envolvente. Fiquei grudada no livro, sem querer largar para nada. 

Esse não é o primeiro romance homoafetivo que leio e posso dizer que me senti bem confortável durante toda a leitura. O livro é muito quente, com cenas sexuais bem picantes, no bom estilo Elle Kennedy. Os personagens são bem construídos e nos conquistam. Adorei a maneira como as autoras conduziram tudo. As brincadeiras, a amizade, a descoberta da atração de Jamie por Wes, a relação que os dois vão construindo e também os problemas e dificuldades que aparecem pelo caminho.

A capa é linda e traz os dois protagonistas se abraçando. O livro é todo narrado em primeira pessoa, intercalando Wes e Jamie. Mesmo tendo lido uma prova antecipada, posso dizer que a diagramação é simples e confortável.

Amei "Ele", e já estou doida para ler a continuação, Us. Eu recomendo para todos que curtem romances eróticos bem escritos. 



0 comentários: