5 Estrelas,

( Resenha ) A Irmã da Tempestade - Livro 2 da Série As Sete Irmãs de Lucinda Riley @editoraarqueiro

30 junho Ingrid 0 Comments

Editora Arqueiro

Leia a sinopse AQUI.

Resenha


O primeiro livro da Série As Sete Irmãs nos trouxe a história de Maia, a irmã mais velha e também a mais bela. Já neste segundo livro, conhecemos mais a fundo, Ally e sua personalidade de liderança. Ansiosa para ler os próximos!

“Estava deitada ao sol no convés do Netuno, nua, com a mão de Theo pousada sobre minha barriga em um gesto protetor. A curva deserta na praia dourada da ilha à nossa frente cintilava ao sol, aninhada em sua enseada rochosa. A água azul fazia preguiçosas tentativas de formas ondas ao bater na areia, que se desfaziam em uma espuma elegante como a de um cappuccino.”


Fazia mais ou menos um ano desde que Ally viu Theo pela primeira vez, na Regata Heineken, em St. Maarten, no Caribe. A tripulação vencedora estava comemorando no jantar dos campeões, e ela ficou intrigada ao saber que o comandante era ele. Isto, porque tratava-se de um famoso no mundo da vela e, nos cinco anos anteriores, havia conduzido mais tripulações à vitória do que qualquer outro capitão. 


Mais tarde, naquela mesma noite, Ally foi apresentada a Theo e acabou percebendo que ele era completamente diferente do que imaginava. Depois disso, começou a notar sua presença em diversos eventos sociais ligados às regatas das quais participava. 


Os dois acabaram trabalhando juntos e começaram a se entrosar, tornando-se uma equipe eficiente. Pela primeira vez na vida, Ally parecia não ter controle dos seus sentimentos. Quando conseguia pegar no sono, tinha sonhos vívidos com Theo, do tipo que a faziam se sentir envergonhada e o seu comportamento perto dele se tornou ainda mais desajeitado. 


Nenhum dos dois tinha certeza de como ultrapassar a barreira do relacionamento profissional que tinham até então e levar as coisas para um patamar mais íntimo. Nos dias que se seguiram, perceberam que o que estava acontecendo era muito mais profundo do que uma simples atração física. Por fim, mergulharam na alegria mútua daquele encontro. 


Entretanto, toda aquela calmaria que Ally tinha em sua vida naquele momento, simplesmente se dissipou quando decidiu ligar o celular e descobriu que tudo havia se estilhaçado em mil pedaços. A notícia da morte de seu pai a abalou profundamente. 




“— Não pode ser, não pode ser verdade... — gemi.”


Ally sempre acreditou que seu pai fosse indestrutível, por isso a realidade a atingiu em cheio. Desta forma, ela precisava voltar logo para casa. Nos últimos dias, sentia que tinha sido completamente egoísta, porque só havia pensado em si mesma e em sua própria felicidade. 




“— Se isso for algum consolo, Ally eu amo você. Não “acho”... sei.”


Ally preferiu viajar para Genebra sozinha, portanto, Theo ficou para trás. Então, durante a espera no portão de embarque, a bolha de amor surreal na qual ela havia passado os últimos quatro dias estourou de repente, fazendo com que se sentisse angustiada diante da situação que teria que enfrentar.



“Dessa vez, porém, sabia que ele não iria me receber. Nunca mais.”


Assim como todas as outras, Ally recebeu uma carta deixada pelo pai, na qual ele afirmava se tratar da filha mais parecida com ele. Pa Salt também deixou uma pista para cada uma delas, com informações para que se encontrassem com o passado. Assim sendo, teriam um bom local para iniciar sua viagem. 


Ally tinha as coordenadas para explorar suas origens mais a fundo e recursos suficientes para descobrir como. Então, ela decidiu que conversaria com Theo a respeito, pois, talvez ajudasse a entender. 


Ally resolveu, por fim, seguir as pistas deixadas por seu pai e embarcou para a Noruega. Onde descobriu que sua vida estava ligada a da famosa cantora Anna Landvik e isso a deixa ainda mais curiosa com relação as suas origens. 

“E, mais importante ainda: quem ele tinha sido?A terrível verdade era que agora eu jamais poderia descobrir."

Um romance envolvente e encantador, que me prendeu do início ao fim, assim como aconteceu com o primeiro livro. Narrado em primeira pessoa pela perspectiva da protagonista, Ally, mostra ao leitor um lado completamente diferente e enérgico. 


A escrita da autora está ainda mais fascinante. Os personagens mostrando-se mais a fundo. 


A capa é linda, ainda mais do que a primeira. A diagramação é boa e a revisão exemplar. 


Dou cinco estrelas e recomendo!!!

0 comentários: