5 Estrelas,

( Resenha ) Nada Escapa a Lady Whistledown @editoraarqueiro - Julia Quinn, Suzanne Enoch, Karen Hawkins e Mia Ryan

17 junho Clã dos Livros 0 Comments

Editora Arqueiro

Leia a sinopse AQUI.

Resenha

Ora vamos, quem ama romances de época vai se maravilhar com mais um livro perfeito. Quatro contos escritos por divas dos romances e com a Lady Whistledown abrindo cada um dos capítulos com suas observações interessantes, fuxiqueiras e engraçadas. Suas colunas conduzem o enredo e ligam as quatro histórias de maneira deliciosa.

Um Amor Verdadeiro 

Em um amor verdadeiro encontramos Lady Anne Bishop uma jovem que se considera uma solteira feliz. Apesar de estar prometida em casamento a Maximilian Trent, o marquês de Halfurst, ela vive uma vida com algumas liberdades, como passear com os amigos e ir às festas e nem considera possível que seu noivo realmente queira o casamento. Os dois foram prometidos ainda crianças, e ele nunca nem mesmo lhe escreveu.
"- Considerando que passei os últimos três dias cavalgando na neve, no gelo e na lama para descobrir por que diabo minha prometida anda por aí na companhia de ... - Ele tirou o papel das mãos dela. - De alguém que "não é seu prometido", acredito que fui bastante cortês."

Ao ler a coluna de fofocas , ops.. atualizações interessantes sobre a sociedade londrina de Lady Whistledown, Maximillian decidiu que era a hora de buscar sua noiva. Todos estavam comentando que ela estava rolando na neve com outro homem e ainda por cima duvidando da capacidade do marquês de Halfurst.  Estava a muito tempo no campo, afastado da capital e ao ficar cara a cara com sua noiva, Max percebeu que devia retornado antes, muito antes. Ela era linda, encantadora, e um desafio para sua inteligência e ele sentiu que precisa conquistá-la para que o casamento acontecesse. Um desafio e tanto, já que Anne não queria se casar. 

Os dois fazem um casal muito interessante, que acaba se envolvendo de maneira apaixonante, com a habilidade narrativa maravilhosa de Suzanne Enoch. Amei!

Dois Corações

Srta. Elizabeth Pritchard, conhecida pelo amigos como Liza, estava cansada de ficar só. Não que não tivesse amigos. Ela tinha alguns. Margareth e seu irmão Royce eram os melhores amigos que alguém poderia ter. Também nada tinha a ver com dinheiro, pois isso ela também tinha de sobra, mas Liza sentia que era o momento de se casar, construir sua própria família e ser feliz. 

"O coração ficou apertado e lágrimas lhe brotaram nos olhos. Era por isso que estava deprimida, havia esperado anos para viver uma "grande paixão", mas nunca acontecera."

Apesar de seu gosto duvidoso pela moda extravagante, com cores fortes e plumas enormes, ela era uma pessoa maravilhosa. Uma mulher sensata e inteligente e por isso era respeitada na sociedade. Mas Royce não achou a menor graça quando viu que Liza estava mesmo se interessando por um de seus pretendentes. Afinal, ninguém servia para ela, na opinião dele. 

Royce adora Liza e realmente se preocupa com ela. Ele é um mulherengo que não se envolve com ninguém, não tem a menor intenção de se casar e se afasta rapidamente de todas as mulheres que busquem somente isso. Mas esse libertino, incorrigível não consegue suportar ver Liza nos braços de outro homem. Ele sabe que não pode ser o que ela precisa, mas a cada dia que passa mais próximo dela, se convence de que precisa fazer algo. 

"Royce gostaria de saber o que tornava Liza única. Não era apenas seu jeito de se vestir, embora fosse bastante incomum. Era algo mais. Talvez a inteligência em seus olhos verdes ou a forma com que seu rosto se iluminava quando ela ria, mas, o que quer que fosse, despertava nele o desejo de rir e nunca mais parar."

Esse conto de Karen Hawkins foi uma delícia de ler. Os personagens são lindos e se descobrem apaixonados, ao longo das páginas. A química entre eles é maravilhosa. Eu amei!

Uma Dúzia de Beijos 

Lady Caroline Starling está perdida. Ela foi despejada junto com sua mãe da propriedade onde moravam. O herdeiro assumiu tudo e expulsou as duas, sem dó nem piedade, deixando-as sem ter para onde ir e dependendo de parentes. Sua única saída agora seria conseguir um bom casamento, mas apesar do esforço em entender a necessidade, ela não queria se casar com ninguém, nada parecia nem mesmo razoável. Será que conseguiria se interessar por alguém a ponto de se casar feliz?

Terrance, atualmente Lorde Darington herdou o título e a propriedade do antigo Lorde, seu primo. Ele estava em uma época bem complicada recuperando-se de graves ferimentos que deixaram algumas sequelas. Após seu retorno a sociedade alguns o julgavam ríspido e direto, mas na verdade ele era apenas objetivo, parecia que junto com seu ferimento tinha perdido um pouco da eloquência e polidez, mas não era sua intenção parece grosseiro, nunca.

Ao conhecer Caroline por acaso, Terrance se encantou. Mas como abordá-la e cortejá-la se lhe faltava a habilidade da fala perfeita? Porém ele sentia que tinha que ser ela a única que poderia ser sua esposa. Porém logo percebeu que ela e sua mãe nutriam por ele, um certo rancor, que ele não conseguia entender.

Caroline achava mesmo que Terrance estava tentando lhe pregar uma peça, talvez querendo humilhá-la novamente, por que outro motivo um lorde que havia expulsado ela e sua mãe sem nenhuma piedade, teria interesse em fazer-lhe a corte? Claro que ele era lindo, forte, alto, e tinha um jeito de falar que a deixava intrigada, mas ela não poderia sonhar com um homem como ele. Ou poderia?

"- A senhorita não pode se considerar feia - foi o que saiu. Não foi perfeito, mas bom o bastante.
- Ah claro que não - apressou-se ela em responder. - Isto é ... Não estou dizendo que sou feia, quer dizer ... - continuou ela, balançando a cabeça de um lado para o outro. - Obviamente, não tenho ideia do que estou dizendo, mas, basta afirmar, lorde Darington, que sei que não sou feia, mas também não sou linda. Definitivamente não me encaixo em um extremo, sou apenas mediana.
- É perfeita, então."

Mia Ryan escreveu esse conto interessantíssimo, com Caroline e Terrance. Eu adorei os dois e me envolvei demais com sua história de amor. 

Trinta e Seis Cartões de Amor

Susannah Ballister tinha certeza de que se casaria com Sr. Clive Mann- Formsby. Ele a cortejou durante uma temporada e era um homem realmente encantador, mas qual não foi a sua surpresa ( melhor dizendo, o seu horror) quando Clive anunciou que se casaria com outra, em um evento social, na frente de todos. Sua humilhação e vergonha foram sem tamanho. Agora a jovem evitava todo e qualquer lugar onde o novo casal feliz estaria, mas para seu desgosto, isso não duraria para sempre.

David, o Conde de Renminster, irmão de Clive sentia-se um pouco culpado pelo que seu irmão havia feito com Susannah, afinal, ele mesmo dissera-lhe que ele não era homem para ela. Que fique claro, achava que a jovem de cabelos escuros merecia um homem melhor do que seu mimado irmão. Mas sabia que ela deveria ter passado por maus momentos diante da sociedade que julgava tudo e todos. 

Para tentar aplacar a culpa que o perseguia, por ter de causado sofrimento para Susannah, David resolve de alguma maneira ajudá-la a recuperar as boas graças da sociedade e aproxima-se dela, mas o conde não poderia prever que se envolveria pela fascinante jovem.
"Ela murmurou polidamente:
- Obrigada pela dança, milorde.
E ficou claro que a conversa estava encerrada.
Mas quando a observou deixar o salão - presumivelmente dirigindo-se para onde estava indo quando ele a interceptou -, não conseguiu afastar o sentimento.
Queria mais.
Mas das palavras dela, mais de sua conversa.
Mais dela. "
A cada novo encontro David fica mais interessado em Susannah e claro que ela não é indiferente aos encantos do jovem conde. Mas estaria ela ainda apaixonado pelo irmão dele? David não poderia se casar com uma mulher apaixonada por outro homem, principalmente por seu irmão. 

Ah Julia Quinn ... A diva maravilhosa encanta com esse conto apaixonante. Amei acompanhar David e Susannah em sua descoberta pela paixão. 

Nada Escapa a Lady Whistledown é mais uma maravilha escrita para nos entreter e encantar, com diálogos interessantes, casais perfeitos, amor e paixão. O livro é todo narrado em terceira pessoa. A diagramação é bonita e confortável e a capa linda, segue o mesmo padrão da anterior com objetos que provavelmente estão na mesinha de escrita de Lady Whistledown.

Amei e recomendo!

Confira a resenha do livro anterior Lady Whistedown Contra-Ataca AQUI.


0 comentários: