5 Estrelas,

( Resenha ) A Assombração da Casa da Colina de Shirley Jackson @Suma_BR

21 julho Bianca Gonçalves 0 Comments


Suma

Leia a sinopse AQUI

Resenha


Considerada uma das principais autoras americanas do século XX, influenciando inclusive ícones como Stephen King e Neil Gaiman; Shirley Jackson trouxe, em sua carreira, obras conhecidas e estimadas.

Não sou uma grande conhecedora, aliás foi meu primeiro contato com a escrita da autora. Estimo clássicos, sendo meu desejo por essa obra baseado no fato de se tratar de um terror clássico, inclusive que inspirou a adaptação de produções cinematográficas.

O livro traz como grande protagonista não um ser humano, tão pouco um animal ou ser sobrenatural; mas sim uma casa.



Mal afamada, com eventos paranormais disseminados aos quatro cantos por meio de histórias; atraiu a atenção de um pesquisador.

"Nenhum olhar humano é capaz de isolar a infeliz coincidência que sugere o mal na fachada de uma casa, e no entanto, de alguma forma, uma justaposição louca, um ângulo mal virado, um encontro fortuito de telhado e céu, transformavam a Casa da Colina em um lugar de desespero, ainda mais assustador porque a fachada parecia desperta, com a vigilância das janelas despidas e um toque de euforia na sobrancelha de uma cornija."
Ninguém se atrevia a habitar a casa. Tão pouco pernoitar por lá. Mas para o Dr John Montague, que analisava manifestações sobrenaturais, seria o local ideal para campo de estudo.

O que poderia acontecer em tal casa que amedrontava tanto? Seriam mesmo esses eventos reais, ou não passavam de lendas urbanas?

Para tal análise, o doutor precisava de uma equipe. De voluntários que de alguma forma já presenciaram algum contato com o sobrenatural. E assim, enviou cartas à muitas pessoas.

Claro que nem todos se interessavam por esse feito. A proposta do doutor era que os voluntários habitassem o local por três meses e registrassem todos os eventos ocorridos ali para então ter a prova se a casa da colina era ou não atormentada.

Falando de forma bem sucinta, para que vocês entendam melhor, o Dr Montague queria organizar um verdadeiro big brother, confinando pessoas numa casa, mas o período no qual o livro é narrado, não existia tecnologia de ponta; existindo apenas o auxílio das anotações.

Os voluntários eram pessoas bem distintas em questão de personalidade. Eleanor, uma mulher que passou a vida cuidando da mãe. Não tinha independência, emocionalmente abalada, problemas na autoestima. Theodora, completamente o oposto de Eleanor. Cheia de vida, audaciosa, acostumada a ser o centro das atenções. E Luke, herdeiro da casa, uma exigência para que o local fosse alugado e explorado.

E assim, se inicia nossa história. Um enredo envolvente, minuciosamente elaborado.

Imagem relacionada

Os leitores habituados ao terror contemporâneo, se lerem essa obra no escuro, se sentirão frustrados. É um enredo que traz um terror psicológico. Não temos horror, não temos fantasmas mirabolantes.

A assombração contida na obra, o terror em si, é sucinto; dependendo especificamente do envolvimento completo do leitor.

Não é um livro para entreter, que você pega para ler "num tapa". A mente precisa estar envolvida no enredo. E só assim, só se sentindo um morador temporário da casa da colina, que será possível sentir todo o medo provocado pelo terror.

Como dito, é um terror psicológico. Uma casa que tem o poder de abalar a cabeça e os sentimentos de quem ali habita. E não é preciso dizer que o personagem mais fraco psico e emocionalmente, que sentirá mais a fundo os poderes da casa.

Por isso, a personagem Eleanor é a que ganha destaque.

Particularmente, apreciei muito a leitura. É um clássico que deve ser conhecido sim, não só pelos apaixonados do gênero. Li alguns comentários negativos sobre a obra. É válido saber que o estilo da autora é descritivo (traços perfeitamente herdados por Stephen); mas pessoalmente falando, mesmo que de início esse traço possa se tornar cansativo (pois os eventos não ocorrem logo de cara) é o que faz com que o terror seja mais rico. Essas "preliminares" são essenciais ao ápice.

Um outro ponto maravilhoso que percebi, foi a construção de personagens femininas marcantes e ainda, uma pequena e leve crítica sobre a diferença de gênero na sociedade. Um livro publicado na década de 50; que expõe pensamentos sobre revolta quanto ao que a sociedade impunha à figura feminina.

"Diziam que a vida amorosa da irmã mais velha terminou mal, o doutor concordou, apesar de falarem isso de qualquer moça que prefira, pelo motivo que seja, viver sozinha."
Nesse meu primeiro contato, pude sim ter a confirmação dos motivos que levaram Shirley Jackson a ser estimada e inesquecível na literatura mundial e principalmente no cenário americano.

A obra é narrada em terceira pessoa; e a edição está linda em capa dura.

Quero mais!

Concluo minha resenha recomendando a leitura e informando que teremos série da Netflix inspirada na mesma. Vale a pena ler antes!

0 comentários: