Confira os lançamentos de julho da Editora Rocco @editorarocco - Clã dos Livros

Confira os lançamentos de julho da Editora Rocco @editorarocco

Compartilhe:


Editora Rocco



Sinopse


Criada em uma casa habitada por pequenos ladrões num beco escuro da Londres vitoriana, a órfã Sue Trinder é criada pela Sra. Sucksby com uma ternura incomum ao ambiente em que vive. Perto de completar dezoito anos, Sue é cooptada por um vigarista de infame alcunha, Sir Gentleman, a participar de um esquema ardiloso quando vai trabalhar como criada na bucólica mansão do velho Christopher Lilly, um excêntrico que vive recluso, cercado de livros, ao lado da sobrinha, a também órfã Maud. A tarefa de Sue é ganhar a confiança de Maud e persuadi-la a cair nos encantos do golpista, que, após desposá-la, pretende interná-la em um manicômio e desfrutar de sua fortuna. O que se apresenta como uma simples armação se revela uma trama cada vez mais complicada à medida que uma delicada relação se desenvolve entre as jovens órfãs. Desse encontro carregado de erotismo, tensão e jogos psicológicos, surgirá uma união que fará frente aos obstáculos que surgem no caminho de ambas ao longo de uma aventura instigante, repleta de surpresas e reviravoltas. Com diálogos afiados e provocativos e um completo domínio narrativo, Sarah Waters constrói uma trama dickensiana onde nada é o que parece ser. Na ponta dos dedos foi adaptado para a TV em 2005, em uma minissérie da BBC, e também para o cinema, pelo diretor coreano Park Chan-wook como A criada, filme vencedor do prêmio BAFTA de melhor filme estrangeiro, em 2018.


Sinopse

Joshua Levin mora sozinho em Chicago, em um apartamento meia-boca, tem uma família disfuncional, uma psicóloga infantil com quem namora, um senhorio, também seu vizinho, veterano de guerra com surtos psicóticos de violência sempre que ouve Guns N´Roses e um laptop com centenas de ideias de roteiros inacabados. Ideia de roteiro 12: O DJ Spinoza é um desajustado incompreendido: por seus colegas de escola, por seus amigos, por seus professores. Seu único sonho é ser DJ na noite do seu baile de formatura e detonar com todos esses babacas. Mas depois que sua performance radical e desastrosa nos pratos estraga uma festa na casa da garota (Rise) com quem pretende ficar, ele acaba sendo castigado. O que fazer para que todos dancem e Rise se apaixone por ele? Título: Espiral fora de controle. Em meio à invasão americana do Iraque, a uma paixão repentina e avassaladora por uma aluna bósnia e a seus devaneios filosóficos sobre arte, vida e morte regados a Spinoza e John Wayne, em um dia abarrotado de cafeína, Joshua tem uma ideia de roteiro de cinema que pode salvá-lo ou colocá-lo de vez no caos: Guerras zumbi. O governo americano tem um programa secreto para transformar a todos em escravos zumbis de fábricas por meio da disseminação de um vírus. “É sobre zumbis. E guerras”, assim descreve Joshua de maneira resumida e abrupta o seu roteiro ou os absurdos acontecimentos e pessoas que atravessam a sua vida. O que pode servir como uma descrição desse polifônico e hilariante romance de Aleksandar Hemon, construído como uma comédia de erros literária que esboça com acidez os ideais nobres se esfacelarem na realidade deprimente. Zumbis e guerras estão em toda parte. Mesmo dentro de nós.


Sinopse

Inaugurando a série Reflexos e Refrações, permeada dos ensinamentos sapienciais da cabala, Cabala e a arte de manutenção da carroça aborda o risco envolvido na gestão de negócios e propõe estratégias para lidar com problemas que desafiam qualquer forma de empreendimento. Cabala e a arte de manutenção da carroça nos orienta de forma simples e eficaz a atingir nossos objetivos, desfrutando do caminho. A um só tempo guia conciso e reflexão profunda sobre a arte e a ciência de fazer negócios e administrar riscos, este livro, com base na cabala e permeado de anedotas de rabinos e carroças, nos convida a refletir sobre o trabalho e a vida. “A boa gestão revelou-se não como a arte de evitar o risco, mas de expor-se a ele.” Essa é uma das premissas do autor. Saber como expor-se adequadamente ao risco é relevante não apenas no mundo dos negócios, mas no nosso cotidiano. Tentar evitar totalmente o risco nega o business,na medida em que só não há risco onde há negação, que nos cega. Corremos riscos ao sair de casa, atravessar a rua. E mesmo dentro de casa, estamos rodeados de diferentes tipos de contratempos. No mundo dos negócios e da economia, o foco no médio e no longo prazo é essencial para conseguirmos superar os percalços em curto prazo. É também recomendável precaver-se contra a ciclotimia dos mercados, onde o boom and bust é infelizmente a norma, provocando crises periódicas. Assim sendo, como afirma Bonder, “a ordem não pode ser uma medida pontual, e aquele que desesperar na primeira desordem não irá longe. A vida é cheia de altos e baixos, e o pior que podemos fazer é ficar eufóricos nas subidas e deprimidos nas descidas”. Ao final dessa leitura, saímos todos com os dois pés bem firmes no chão, inspirados por reflexões e ensinamentos que em muito contribuirão para o nosso próprio bem-estar, assim como para o da comunidade e do país em que vivemos. - Ilan Goldfajn, Ex-presidente do Banco Central.


Sinopse

A história de quatro garotos criados entre os conjuntos habitacionais e ruas de Edimburgo e as experiências que os ligam por três décadas, da infância à idade adulta. São eles: Juice Terry, desempregado por opção, viciado em sexo e com dedos perigosos; Billy, o boxeador amador, sempre com a cabeça no lugar e a um passo de se tornar profissional; Carl, o Garoto Milky Bar, cujo amor pela música o leva a ser um destacado DJ nos clubes locais; e Gally, aquele que tem uma couraça mais frágil que os demais e parece encontrar uma tragédia em cada esquina da cidade. Enquanto acompanhamos suas vidas desde a década de 1970 até a virada do século – do punk ao techno, das anfetaminas ao ecstasy –, vemos cada um deles tentando se libertar do condicionamento de classe e cultura, das pressões sociais e da esperança de pais e mães de que os filhos realizem mais do que eles próprios realizaram. Em meio às turbulências, dois elementos unem o quarteto: a amizade formada nos conjuntos habitacionais, na escola e pela ambição de escapar de ambos; e a lealdade forjada no código moral das ruas. Além das drogas, do sexo e da violência já marcantes na obra de Irvine Welsh, Cola traz como pano de fundo momentos-chave da história social recente da Escócia, enquanto investiga a energia irascível da classe trabalhadora escocesa no final do século XX, usando uma mistura compulsiva de dialeto lothiano, teoria socialista libertária e um irresistível humor negro. Com diálogos afiados, dotados de uma sentimentalidade brutal que permeia a amizade e o desespero desses homens, Welsh mais uma vez nos mostra o seu pleno domínio da técnica narrativa.


Sinopse

Vencedor do prêmio Edgar de melhor livro juvenil (2017) e do prêmio Silver Birch (2017). DANIEL ACREDITA QUE NÃO É NORMAL. Daniel é o reserva do time de futebol da escola, e isso significa que ele é basicamente o garoto da água. Ele gasta todo o tempo dos treinos arrumando e organizando os copos para seu time – e rezando para que ninguém perceba. Na verdade, Daniel passa a maior parte do tempo esperando que ninguém note seus hábitos estranhos – ele os chama de Choques. Eles incluem ter uma lista de números “ruins” e evitar escrevê-los, por exemplo, ou ligar e desligar o interruptor dezenas de vezes até se sentir bem de novo. Daniel acha que é maluco e esconde essa impressão sobre si mesmo, principalmente de seus pais, seu melhor amigo Max e Raya, a garota por quem é secretamente apaixonado. Sua vida fica ainda mais estranha quando ele recebe um bilhete misterioso com um pedido de ajuda assinado pela “Colega das Crianças das Estrelas”, seja lá o que isso significa. E de repente, Daniel, que era um zé-ninguém na escola, se vê dentro da investigação de um grande mistério. Este livro é sobre se sentir diferente e deslocado e encontrar aquelas pessoas que conseguem enxergar e entender você de verdade.


Sinopse

Finalista do prêmio Nebula de melhor livro (2017) Finalista do prêmio Locus de melhor livro de fantasia (2018) Finalista do World Fantasy Award de melhor livro (2018) Em meados dos anos 1960, em plena Guerra Fria, Teddy Telemachus, um sedutor trapaceiro nas cartas e nos truques de mágica, resolve participar de um estudo secreto do governo federal sobre habilidades paranormais. Lá ele conhece Maureen McKinnon, uma paranormal legítima, dotada de misteriosos poderes psíquicos, por quem se apaixona. Eles se casam, têm três filhos, todos com dotes excepcionais: Irene é um detector de mentiras humano, Frankie possui o dom da telecinese, e Buddy é capaz de prever – ou melhor, recordar – o futuro. Em pouco tempo, os cinco começam a sair em turnês para exibir seus poderes, ficando conhecidos nacionalmente como A Fabulosa Família Telemachus. Até que um dia sua fama se quebra ao serem desmascarados num influente programa de TV exibido em todo o país. A partir daí, tem início a tragédia na vida de uma família que se esfrangalha em dívidas financeiras e instabilidade emocional. Em Spoonbenders, Daryl Gregory, premiado autor de histórias fantásticas e de terror, desfia um elenco de personagens excêntricos, problemáticos e extremamente envolventes em uma complexa saga familiar que mistura melodrama, humor, a máfia de Chicago e programas secretos de agências governamentais com a dinâmica de uma família socialmente inepta, mas, ao seu modo, bastante unida. Fascinante como os poderes dos Telemachus, Spoonbenders é a hilária e comovente história de uma família de talentosos sonhadores, e as forças invisíveis que ligam uns aos outros.


Sinopse

Cada palavra é um desenho, que é uma palavra, que é um desenho. Caulos é pintor, desenhista, escritor. Nasceu em Minas Gerais e vive no Rio de Janeiro. Desenha todos os dias, pinta nos outros. À noite, escreve, assiste a muitos filmes antigos e alguns novos. Tem uma coleção de livros de arte e gosta de ler Eça de Queirós, Raymond Chandler e Júlio Verne, todos os dias. BIBLIOTECA DO CAULOS Pintando o Sete O Jardim da Infância de Matisse O Segredo de Magritte Mondrian, o Holandês Voador Seurat e o Arco-íris O Céu Azul de Giotto Van Gogh e a Cor do Sol A Viagem de Rousseau Livros da Terra O Planeta Colorido O Viajante Livros Diferentes O Livro Quadrado O Livro Redondo O Livro Comprido O Livro Estreito Livros Particulares Duas Orelhas e um Sorriso O Tapete Voador O Livro Bonito Livros da Língua O Ponto e a Vírgula O Livro das Palavras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Bottom Ad

test banner