Editora Arqueiro,

( Trecho ) de A Redenção de Gabriel - Cena Deletada - Sylvain Reynard @editoraarqueiro

31 outubro Clã dos Livros 5 Comments


Lançamento 
em janeiro de 2014

Editora Arqueiro


Cena deletada do livro A Redenção de Gabriel

Gabriel, em sua mente, pode ver Julia em seu apartamento, em Toronto, caminhando em direção à suíte, no quarto principal. Ele pegou-lhe o pulso e sem dizer nada a levou para a cama. Ele a beijou suavemente, enquanto começava a despi-la, seus olhos azuis brilhando com adoração e necessidade. Ele passou um tempo adorando seu pescoço e ombros nus, seus lábios vibrando em toda a superfície de sua pele.
Claro que ele iria adorar suas belas costas - as curvas e a pele cremosa convidando suas mãos e sua língua. Seu pescoço elegante implorando por sua atenção. A fotografia não poderia fazer justiça à sua beleza. Ele teria que contratar um artista. Mas a qual pintor ele confiaria o dom mais precioso que ele já tinha recebido?
Gabriel reclinou-se na cama e a puxou, montando-a nele, olhando para ela com uma expressão de admiração e desejo. Ela moveu os quadris para provocá-lo um pouco, fechando os olhos enquanto fazia isso. Gabriel estendeu as mãos para cobrir seus seios, elevando-os e acariciando-os. Depois de alguns momentos, ele a colocou de costas e ajoelhou-se entre suas pernas.
Ela suspirou de satisfação quando ele entrou nela, puxando-o para que seus peitos estivessem firmemente pressionados. Gabriel gostava dela no topo, mas ele também gostava dela embaixo dele - um lugar macio para pousar e amar. Em um mundo que era frequentemente frio e cruel, todo mundo precisava de um lugar macio para pousar.
Mais alguns beijos e ele parou para olhá-la intensamente, seus olhos azuis escuros e a testa franzida.
- Gabriel?- Ele fechou os olhos por um instante e balançou a cabeça.
Julia aproximou os dedos da luz para tentar suavizar as rugas da testa.
- O que há de errado?- Ele abriu os olhos, olhando como se ela fosse a primeira mulher que ele já tinha visto.
- Você é a minha imagem de escultura. Meu ídolo. E eu não posso viver sem você.
Um sorriso lento se espalhou em seus lábios perfeitos.
- Você não vai ter que viver sem mim- ela murmurou. Eu amo você, Gabriel.
Ele encarou seu olhar, enquanto começava a mover-se, seus corpos sincronizados. Sua boca estava aberta enquanto ele gemia em cima dela.
Seria fácil, oh, tão fácil fechar seus olhos e tomar o seu prazer sem preocupar-se se ele a afetava, ou garantir que ela receba a satisfação em primeiro lugar. Considerando que, antes, com outras mulheres, seu orgulho viril o impediu de ser um egoísta, amante insensível, agora além o seu corpo, o amor o dominou.
Ele a amava. Ele a adorava. Ele faria qualquer coisa por ela.
Apesar de sua própria tentação, o que ele mais queria era vê-la louca de desejo e, em seguida, assistir seu desejo ser saciado, sabendo que ele tinha feito isso. Que ele tinha o poder, o incrível poder primordial para satisfazer os desejos de seu corpo e talvez de sua alma.
Era uma blasfêmia?
Claro. Gabriel sabia que os prazeres do corpo foram feitos para ser uma antecipação da união divina. Apesar de ter perdido a esperança de entrar no Paraíso, uma vez que a sua vida terrena tinha terminado, ele concordou que a obrigação absoluta da alma seria maior do que qualquer obrigação do corpo.
Tais pensamentos lhe permitiram manter o seu autocontrole, enquanto sua amada Julianne o observava com os olhos cheios de amor.
- Eu preciso de você - ele murmurou, com seus movimentos aumentados para um patamar bastante alto.
A resposta de Julia foi perdida em uma série de gritos enquanto gozavam um após o outro.
- Obrigado - ela deu um beijo em um lado de seu rosto quando ele enterrou o nariz na curva de seu ombro - nunca me canso de estar perto de você. De amá-lo desta forma. Você é tão bom para mim.
Ele murmurou uma resposta, mas Julia não o pressionou para ser explícito. Ele já havia dito que sentia e a mensagem era impressionante.
- Eu vou te amar para sempre - ela sussurrou, envolvendo os braços em volta dele e segurando-o como se ela não quisesse deixá-lo ir.



Fonte: Fan page O Inferno de Gabriel
Tradução: Adna Rios

5 comentários:

  1. Outra trilogia que amo mto, depois de 50 tons essa é a melhor trilogia na minha opinião!

    ResponderExcluir
  2. Nossa, um das melhores trilogias que já li! Simplesmente apaixonante....
    Yara Gomes

    ResponderExcluir
  3. Alguém pode me falar se termina bem...ai vou comprar a trilogia

    ResponderExcluir