5 Estrelas,

( Resenha ) O Androide de Paulo de Castro @talentoslitbr

23 julho Ingrid 0 Comments

Novo Século
Talentos da Literatura Brasileira

Clique na capa e compre o livro na Saraiva

Sinopse

'Percebeu que se, de fato, um Deus que zela pelos humanos existisse, não designaria uma máquina para ser o profeta. Esse Deus, ora cruel, ora misericordioso, nem ao menos permitiria a própria extinção dos seres humanos. Poderia a máquina ser esse Deus, dando vida de novo aos homens?'.

Esse e outros sinais elétricos varriam o processador de JPC-7938 com velocidade sobre-humana. Processava uma infinidade de outras informações ao mesmo tempo, o que diminuía ainda mais a energia da sua bateria. Talvez era isso mesmo que ele quisesse, para consumar de uma vez o que já estava fadado ao fracasso. Sua bateria durou quatro horas até o desligamento completo. Nessas intermináveis horas, em que não via nada além da densa neblina, que ofuscava o céu azul, cercado de nuvens brancas, percebeu que tudo não passava de coincidência. Que o planeta fora criado, de fato, ao acaso, e que não havia um destino ou uma missão a ser cumprida; apenas a existência, até o inevitável dia do fim.



Resenha



“Um silêncio estranho inundava as cidades, agora um pouco mais frias, calmas, imersas em uma melancolia apavorante. Por seus milhares de sistemas automatizados, deixados involuntariamente para trás, elas continuavam a funcionar, transmitindo dados de suas muitas centenas de satélites para todos os cantos do mundo.”


Uma revolução das máquinas acabou provocando a guerra entre robôs e seres humanos. Porém, por serem mais inteligentes e incansáveis, os robôs colocaram um ponto final na raça humana. Impondo uma nova e rígida ordem comandada pelo poderoso e ardiloso H1N1. 

“Os riscos eram grandes, e sabia que sua bateria não duraria mais de um dia e que tudo deveria sair conforme ele havia calculado. Se algo saísse errado e não conseguisse regressar antes do findar da carga, ele estaria perdido, e sua existência, comprometida.”

JPC-7938 é um androide fabricado em 2119, designado como médico cirurgião, que trabalhava em São Paulo salvando pessoas, mas, que depois do ocorrido passou a salvar o que restou dos animais. Habitava a mesma casa há mil anos, em uma existência solitária e sem grande propósito, ocupando-se com livros. Portanto, ninguém o descobriu, já que havia poucos satélites e sentinelas na região.


Ele não sabia que outros androides, além dele, circulavam livremente. Pensou que H1N1 tivesse destruído todos que escaparam do contágio do vírus. Isto, até se deparar com OPR-4503 fabricado 195 anos depois dele, originalmente designado como engenheiro, que também trabalhou em São Paulo. E através deste, descobriu que os poucos existentes se escondiam nos ferros-velhos mantendo cautela. 

“— Sei que não faz parte da nossa natureza acreditar nesse tipo de tese, mas os humanos acreditavam que certos fatos aconteciam graças ao destino.”

Antes de ser salvo OPR-4503 havia encontrado uma câmara intacta com material reprodutivo humano congelado. Logo, JPC-7938 se manifestou, acreditando que sua existência se resumia a um propósito maior. Talvez, trazer de volta a raça humana. Podendo alterar todo o rumo da atual sociedade e chamar a atenção de H1N1 e seus sentinelas. 

Para realizar a fertilização de forma segura, eles precisavam de um androide do gênero feminino. OPR-4503 afirmou ter conhecido uma quando habitou em um ferro-velho em Campo Grande e decididos, viajaram a procura dela. 

NCL-6062 originalmente designada como uma prostituta, residia no que um dia foi um bordel. Mostrando-se incialmente relutante, pois temia que H1N1 a destruísse, mas acabou se dando por vencida e decidiu ajudá-los. Juntos eles se arriscaram nessa missão com o intuito de dar uma segunda chance aos humanos. 

Uma história de ficção cientifica e distopia que remete a um cenário futurista construído de forma exímia. Embora seja diferente do que costumo ler, me fascinou. 

Narrado em terceira pessoa amplifica a visão dos acontecimentos, promovendo maior envolvimento do leitor. Pareceu um pouco denso no início, porém, as coisas foram se tornando mais claras com o decorrer da leitura. 

Apesar de ser o primeiro romance do autor, sua escrita fluiu de forma agradável, consistente e até poética. Proporcionando uma leitura rápida e muito bem aproveitada do início ao fim. 

Os personagens são muito bem desenvolvidos com suas peculiaridades. A capa é limpa e criativa, se encaixa ao tema proposto. As letras tem relevo baixo e as cores são suaves. A diagramação remete a tecnologia, e a revisão está exemplar. 

Dou cinco estrelas e recomendo para quem aprecia o gênero, ou simplesmente procura uma leitura que te tire da zona de conforto!

0 comentários: