5 Estrelas,

( Resenha ) O Labirinto dos Espíritos - Livro 4 da Série Cemitério dos Livros Esquecidos de Carlos Ruiz Zafón @Suma_BR

13 dezembro Denise 0 Comments

Editora Suma

Clique na capa e veja onde comprar 

Leia a sinopse AQUI

Resenha

Carlos Ruiz Safon encerra a trajetória da família Sempere com o Labirinto dos Espíritos. Chegamos, então, ao desfecho da saga do Cemitério dos Livros Esquecidos agraciados com a qualidade de toda a narrativa do autor.

Alícia Griss é uma bela mulher, que na infância sofreu com a guerra e carrega a dor física e moral da perda dos pais. Se não fosse pelo querido e sagaz Fermín talvez o destino não a trouxesse até aqui.

"Quando pensava que só podia ouvir o som dos aviões se aproximando de novo, ele percebeu a voz da menina ao seu lado. Abriu os olhos e encontrou Alicia. A pequena tentava puxá-lo com todas as suas forças, gritando com uma voz cheia de pânico. Fermín se virou. O que ainda restava do edifício estava se desmanchando entre as chamas como um castelo de areia na maré alta."

Mas o tempo passou e apadrinhada pelo misterioso Leandro, Alícia tornou-se uma competente investigadora que retorna a Madri ao lado do policial Vargas, designado para ser seu parceiro em um novo trabalho.

"A dor piorou quando chegou à rua. Não queria que Vargas a visse assim. Não queira que ninguém a visse assim... Tentou absorver as primeiras fisgadas no quadril respirando lentamente e continuou andando, medindo cada passo."

Alícia e Vargas investigam o paradeiro de renomado ministro Maurício Valles, homem inescrupuloso que está envolvido diretamente com a morte de Isabella, mãe de Daniel Sempere.

"Mas Valls sabia quem era porque lembrava. E, como lhe disse uma vez o diabólico David Martin, você é o que lembra. Por isso ele sabia que aquela mulher fosse quem fosse, tinha estado ali e que algum dia ela voltaria, ou alguém como ela, para libertá-lo e tirá-lo dali."

Para encontrar indícios do desaparecimento do ministro Valls Alícia viverá muitas aventuras até desvendar os mistérios que envolvem a surpreendente Isabela.

"Meu nome é Isabella Gispert e nasci em Barcelona no ano de 1917. Tenho vinte e dois anos e sei que nunca vou completar vinte e três. Escrevo estas linhas com a certeza de que me restam poucos dias de vida e que em breve abandonarei aqueles a quem mais devo no mundo: meu filho Daniel e meu marido Juan Sempere, o homem mais bondoso que já conheci, que me entregou uma confiança, um amor e uma devoção que vou morrer sem ter merecido."

As tramas anteriores surgem por um novo prisma trazendo a tona segredos e mistérios a serem resolvidos. 

Daniel, do menino curioso ao jovem pai de família, deixa aflorar o desejo de vingança pela perda prematura de sua mãe.

"Fazia dias que desconfiava que Alicia e Fermín lhe ocultavam alguma coisa. E agora, pelo visto, Bea se unira a eles. Passou algumas horas matutando sobre o caso, queimando a mufa e corroendo a própria alma. A experiência lhe havia ensinado que em casos assim o mais aconselhável é se fazer de bobo e fingir que não está notando nada. Afinal de contas era esse o papel que sempre lhe davam no enredo. Ninguém esperava que o boa gente do Daniel, o pobre órfão e perpétuo adolescente de consciência límpida, estivesse por dentro das coisas."

Novos personagens e muitas aventuras na prisão de Montjuic retornam e mais uma vez não conseguirmos nos desapegar das páginas do livro.

Ao final de sua saga Zafón nos confronta com a certeza de que carregamos dentro de nós o bem e o mal, somos as vítimas e os culpados basta que possamos ver e sermos vistos por outras perpesctivas.

Mesmo não lendo os livros anteriores da saga, o leitor consegue compreender a proposta de Zafón. A todo o momento feixes do passado são descritos como importante base para a compreensão da história.

O Labirinto dos Espíritos envolve realidade, através dos fatos históricos e ficção. É um texto tão detalhista na descrição dos lugares, dos eventos e dos sentimentos dos envolvidos que chegamos a desconfiar se esses personagens realmente são fictícios.


Recomendo que leiam e guardem os livros, pois Zafón e suas histórias merecem sempre o retorno a nossa cabeceira...

Confira as resenhas dos livros anteriores AQUI.







Imagens: Fan page Editora Suma

0 comentários: