Favoritos
Resenhas
Romance de Época
Lançamentos
Adaptações

Postagens Recentes

Confira os lançamentos de maio da Faro Editorial @FaroEditorial


Faro Editorial




Sinopse

O QUE ACONTECE DE NOVO AGORA NÃO É A DESONESTIDADE DOS POLÍTICOS, MAS A RESPOSTA DO PÚBLICO EM RELAÇÃO A ISSO. Bem-vindos à era da pós-verdade: uma época em que a arte da mentira está abalando as próprias fundações da democracia e do mundo como o conhecemos. Neste livro surpreendente e revelador, a pós-verdade é diferenciada de uma longa tradição de mentiras políticas, mostrando o poder das novas tecnologias e das mídias sociais de manipularem, polarizarem e enraizarem opiniões. Pós-verdade – Segundo o dicionário: substantivo. Quando os apelos à emoção, a crenças e a ideologias têm mais influência em moldar a opinião pública que os fatos objetivos. Como podemos defender a verdade em uma época de mentiras, os chamados fatos alternativos? Nesta obra, um dos mais respeitados jornalistas políticos britânicos investiga como chegamos até aqui, explica por que a resignação não é uma opção e revela como podemos e devemos nos defender e contra-atacar.


Sinopse

BREVES LIÇÕES DA HISTÓRIA PARA ENTENDER O MUNDO HOJE. Trata-se de uma jornada pela história, explorando as possibilidades e limitações da humanidade ao longo do tempo. ESCRITO PARA LEITORES CURIOSOS POR HISTÓRIA os autores apresentam, numa versão concisa, uma gama de conhecimentos relacionados a 12 temas: geografia, biologia, raça, caráter, moral, religião, economia, socialismo, governo, guerra, crescimento & decadência e progresso. O resultado é um levantamento da História, cheio de percepções incríveis sobre a natureza da experiência humana, a evolução da civilização e a cultura do homem. Uma obra-prima para todos que querem entender a essência do comportamento humano, de onde viemos e para onde vamos.




Sinopse

Primeira obra que torna as principais de Hayek acessíveis a não economistas. Laureado com o Prêmio Nobel de Economia, F. A. Hayek revolucionou a compreensão dos mercados e, em seguida, desafiou profundamente a compreensão pública do governo. Ele é um dos poucos cientistas sociais dos últimos 200 anos que repensou completamente a relação entre indivíduos, mercado e estado. Este volume destaca suas principais propostas, explicando em linguagem não acadêmica sua visão e críticas sobre a natureza da sociedade e dos mercados. “A geração de hoje cresceu num mundo em que, na escola e na imprensa, o espírito da livre iniciativa é apresentado como indigno e o lucro, como imoral, onde se considera uma exploração dar emprego a cem pessoas, ao passo que chefiar o mesmo número de funcionários públicos é uma ocupação honrosa.” F. A. HAYEK Nenhuma figura teve influência tão grande sobre os intelectuais por trás da Cortina de Ferro quanto Friedrich Hayek. 


Leia.Seja - Vamos falar sobre livros! #leiaseja @editoraarqueiro


Falar sobre livros é um caminho sem volta. Eu posso dizer que, enquanto blogueira, escrevo para leitores. Acabamos por influenciar e encorajar mais leitores a não pararem nunca de ler.

Mas como propagar a leitura para aqueles que não leem? Como incentivar novos leitores? E me refiro aos não-leitores por opção!

Os livros são vistos por muitas pessoas como algo "chato", uma "obrigação". Ouço coisas como: "eu lia na escola porque era obrigado".

É estranho ouvir essas coisas, pois vejo a leitura como um lazer inestimável. Claro que não serei hipócrita em afirmar que nunca li nada por obrigação. Já li sim, porém algumas delas foram tão prazerosas que agradeço essa obrigatoriedade.

Incentivar uma criança a ler pode ser mais fácil que um adulto. A criança ainda está iniciando seus hábitos, um pouco de jogo de cintura e paciência poderá fazê-la amar esse mundo. 

Já um adulto é mais complicado. Não entendo o que faz um livro ser tão taxado como "coisa de nerd". 

Os não adeptos à leitura jamais saberão o que é se apaixonar por um personagem literário. Oras, eles até acreditam que somos malucas por afirmarmos isso, mas aquele lance de borboletas no estômago que sentimos pelos personagens literários "crushes" não acontece na vida real. Isso porque é uma combinação de imaginação e envolvimento, coisa que a realidade pode não ter. E daí se ele não existe? Ilude-se menos quem nutre uma paixonite por um personagem fictício.



Posso soar solitária ao afirmar isso. Mas você, leitor, sabe que tenho razão. E aquele que não lê, repito: jamais saberá o que é esse sentimento.

Os não adeptos à leitura jamais sentirão aquele alvoroço ao receber aquele livro tão esperado pelo correio. Eles não entendem o que é você ir de minuto em minuto num site verificar o rastreio e esperar no portão da sua casa o carteiro com seu pacote. Ahhh esse sentimento! Se eles soubessem o quanto o coração acelera ao abrirmos o pacote e darmos de cara com ele, o seu próximo amor, denominado livro. Você leitor, sabe do que estou falando. Mas infelizmente, se você não lê, não vai compreender esse sentimento.

Eu sinto pena de quem não tem um livro para recorrer quando o mundo real está uma droga. Ok não-leitores, vocês poderão me dizer que tem uma infinidade de outras coisas para recorrer, mas é porque não conhece o tipo de paz que a leitura proporciona. Aquele momento em que estamos lendo, seja sozinhos dentro do quarto, em movimento no ônibus lotado, ou até mesmo sentados num banco qualquer com pessoas passando; é inexplicável. Não percebemos o que está acontecendo ao redor, o livro nos pega, nos transporta. Não é distração. É envolvimento. E não há nada que promova maior escape que a leitura. O leitor concordará comigo. O não-leitor não será capaz de opinar. 

Posso apostar que o não-leitor sente uma ponta de inveja quando seu amigo "lunático" afirma que o filme que assistiram no cinema não chega aos pés do livro (que ele leu anos-luz antes de se pensar em adaptação). Aliás, sabemos exatamente qual será o desfecho do filme. E nesse caso, agradeço a existência de não-leitores, afinal, é maravilhoso estar um passo à frente. 

Como vivem os que não leem? Fico refletindo sobre isso. Como é não se emocionar ao visitar uma livraria? Não delirar com o cheiro de um livro novo? 

Claro que existe uma vantagem em não ler. Os não-leitores não ficam frustrados quando não podem comprar todos os lançamentos de livros, não ficam ansiosos ao constatarem que morrerão sem ler todos os livros que desejam, e eles não tem mais livros do que realmente conseguem ler.

Mas querem saber? Eu prefiro mil vezes viver essas pequenas desvantagens que o leitor enfrenta. As vantagens em ser leitor são muito maiores. E não. Não desdenho dos não-leitores. Só não compreendo como é viver apenas de realidade. Eu vivo de sonhos, e são os livros que os preenchem.

O dia do livro é comemorado no dia 23/04. Os não-leitores não vêem nada significativo nisso. Os leitores... bem, para nós é só uma data para frisar nosso amor, já que em nosso mundo, todo o dia é dia do livro!


Tempestade de Guerra - Livro 4 da Série Rainha Vermelha @editoraseguinte - Em pré-venda



Victoria Aveyard estará na Bienal do Livro de São Paulo
A autora vai participar de bate-papo e sessão de autógrafos no dia 11/08, no segundo final de semana do evento.

Sinopse


O aguardado desfecho da série A Rainha Vermelha, descubra qual poder sairá vencedor depois que a tempestade de guerra passar.


Mare Barrow aprendeu rápido que, para vencer, é preciso pagar um preço muito alto. Depois da traição de Cal, ela se esforça para proteger seu coração e continuar a lutar junto aos rebeldes pela liberdade de todos os vermelhos e sanguenovos de Norta. A jovem fará de tudo para derrubar o governo de uma vez por todas — começando pela coroa de Maven.
Mas nenhuma guerra pode ser vencida sem ajuda, e logo Mare se vê obrigada a se unir ao garoto que partiu seu coração para derrotar aquele que quase a destruiu. Cal tem aliados prateados poderosos que, somados à Guarda Escarlate, se tornam uma força imbatível. Por outro lado, Maven é guiado por uma obsessão profunda e fará qualquer coisa para ter Mare de volta, nem que tenha que passar por cima de tudo — e todos — no caminho.


( Resenha ) Interferências de Connie Willis @Suma_BR

Editora Suma

Resenha

Na atualidade, amor e tecnologia tem alguma relação? Quanto a tecnologia interfere (positiva ou negativamente) nos relacionamentos?

"Durante toda a nossa história evolutiva tentamos impedir que algumas informações fossem divulgadas: camuflagem, aquela tinta que as lulas esguicham, senhas criptografadas, segredos corporativos, mentiras. Principalmente mentiras. Se as pessoas realmente quisessem se comunicar, diriam a verdade, mas não é o que fazem."
Na ficção de Connie Willis encontramos um cenário tecnológico mais avançado que o atual. Nele, casais poderão comprovar a grandeza do afeto amoroso que sentem um pelo outro através de um procedimento cirúrgico, denominado EED. 

É a nova sensação do momento! Inclusive, várias celebridades já fizeram.

Imaginem só, poder saber com precisão o que o seu parceiro sente por você!

Algumas pessoas abominavam esse procedimento, e outras o enxergavam como uma forma de apertar ainda mais os laços afetivos.

Para Briddey e Trent seria exatamente uma forma de se conectarem ainda mais um com o outro. Apaixonados, optaram por fazer o procedimento antes de se casarem. E a ideia partiu de Trent, que queria que Briddey tivesse certeza do seu amor.

" (...) as pessoas acham coisas que não são verdade o tempo todo. Hitler provavelmente achava que era um cara muito legal..."
Enfrentando as negativas por parte da família de Briddey, o casal marca o procedimento às escondidas. E quando Briddey acorda, após o efeito da anestesia, se vê desesperada pelo fato de ter ocorrido uma "interferência": ao invés de se conectar com seu noivo, ela se conecta com CB Schwartz, o nerd solitário do laboratório da empresa em que trabalha.


E para piorar ainda mais a situação, eles conseguem se comunicar por telepatia!

Como resolver esse problema?

Resultado de imagem para emma stone gifs

Com uma narrativa leve e cheia de humor, Connie nos presenteia com um enredo gostoso e muito atual. 

A obra, mesmo leve, traz reflexões marcantes sobre relacionamentos como um todo (amistosos, familiares e amorosos).

" - Se a tia Briddey fizer o EED - disse Maeve, ignorando a mãe -, ela vai descobrir como ele é por dentro. Como no filme Frozen, que tem um príncipe que a Anna acha que é muito legal e que está apaixonado por ela, mas não é verdade, ele só quer o reino dela. E ele tenta matar a Anna.
   - E essa é outra razão para eu não querer que você assista aos filmes da Disney - disse Mary Clare. - São violentos demais."
Eu aprecio o estilo da escrita de Connie pelo fato de ser moderno. Ela introduz o leitor em meio ao enredo de forma súbita, como se aquele mundo sempre existisse. E esse é um dos pontos mais altos da leitura.

Quando menos percebemos, já estamos conectados (e isso sem precisar do procedimento EED) com os personagens e com o ambiente do enredo.

O humor se faz muito presente, desde as primeiras linhas. Destaque para a família de Briddey, o núcleo mais engraçado do enredo.

CB é encantador. Aliás, todos os personagens são. Connie tem aquele tipo de talento marcante em criar personagens cativantes, e mesmo com os nomes tão difíceis de serem memorizados, se tornam inesquecíveis por suas personalidades.

O romance e a ficção científica, apesar de muito presentes, são discretos; predominando fervorosamente o humor, em minha opinião.

Eu estava com aquele necessidade em ler algo leve e bem humorado, assim sendo o livro caiu como uma luva. Só não entrou para a lista de favoritos pelo fato de que a autora se perdeu em um determinado momento, deixando a história muito arrastada, levando-a para um caminho pouco convincente.

Com exceção desse feito, é um ótimo livro para se divertir! 

A edição é uma lindeza: capa com aspecto aveludado, fonte confortável para leitura. E a narrativa é em terceira pessoa.

( Resenha ) Quando a Bela Domou a Fera - Livro 1 da Série Contos de Fadas de Eloisa James @editoraarqueiro

Editora Arqueiro

Leia a sinopse AQUI.

Resenha



Eloisa James criou uma série deliciosa, cheia de romance, humor, personagens fascinantes em interessantes  releituras de contos de fadas. 

Em Quando a Bela Domou a Fera conhecemos a bela Linnet e o temperamental Piers, uma linda releitura do clássico A Bela e a Fera.

Saiba mais sobre o conto clássico AQUI

Linnet ... se meteu em uma confusão daquelas, ao se deixar ser beijada por um príncipe. Para ela, ele era um bom amigo, que sempre tentava algo mais, porém infelizmente,  para ele, ela era apenas mais uma jovem linda, da qual tentaria se aproveitar. Após algumas pequenas aventuras e uns beijos trocados, Linnet ficou mal falada e sua reputação foi totalmente arruinada.

Mas com a ajuda de sua tia, Linnet acabou sendo empurrada para um noivado com um nobre que ninguém mais queria, mas que parecia ser sua única saída.

"- Todo mundo o chama assim - defendeu-se o visconde. - O homem tem um temperamento péssimo. É um médico brilhante, ou ao menos é o que todos dizem, mas tem o temperamento de um demônio."

O conde de Marchant, Piers Yelverton era um médico muito inteligente. Sua sagacidade o deixava anos luz a frente dos médicos da época , que usavam mais a superstição do que o estudo cientifico como base. Ele sofreu um acidente quando criança e por isso carregava uma sequela horrível que causava dores frequentes. Além disso, Piers era um homem com um temperamento insuportável. Ele falava o que queria sem se preocupar com quem pudesse se ofender e pensava sempre de maneira muito racional. Assim afastava muitos que tentavam se aproximar, por isso foi apelidado de fera.

"- Mas e a minha lesão, hein?- continuou ele. - Você acha que uma mulher concordaria em se casar com um homem ... O que estou dizendo? É claro que uma mulher concordaria com isso.
- Duvido que muitas jovens vissem isso como um problema incontornável - respondeu Prufrock. - Já sua personalidade ...
- Maldito seja! - retrucou Piers, mas sem rancor algum. "

Piers é surpreendido com a chegada de Linnet, a linda noiva que seu pai trouxe, do dia para a noite, sem que ele soubesse. Para o pai de Piers ele precisa se casar e gerar herdeiros para darem continuidade ao título e como o filho nada fazia para concretizar seus desejos, resolveu arrumar-lhe uma noiva, ele mesmo.

" - Um médico totalmente maluco - esse sou eu - e uma beldade terrivelmente conivente - essa é você-, mancando juntos rumo a uma vida de felicidade? Duvido muito. Você tem lido contos de fadas demais.
- Quem disse que eu sei ler? Mal sei contar, lembra?"

O encontro dos dois é fantástico, pois Linnet é inteligente e audaciosa e não se abala com a grosseria de Piers, o que o surpreende, assim como sua beleza, claro. Os dois iniciam uma relação bem interessante. Nenhum deles deseja realmente se casar , mas ambos acabam sendo obrigados a conviver durante um bom tempo e passam a se conhecer cada dia mais.

Piers atende muitos doentes em seu castelo, que está organizado como um hospital. Seus tratamentos são sem dúvida os melhores e muitos médicos e estudantes de medicina se interessam pelo que ele pode lhes ensinar, não que ele deseje fazê-lo. Mas lhe falta a polidez e olhar mais próximo e Linnet percebe essa "falta" e logo se prontifica a resolver. Ela se importa com os pacientes e começa a pensar em maneiras de fazer de sua estadia no castelo, um momento mais agradável, certa de que assim, se recuperarão mais rapidamente. 

A proximidade dos dois, faz com que sintam-se cada vez mais atraídos, fisicamente e emocionalmente, apesar da resistência dele. Tudo indicava que Piers não podia ter desejo por mulheres, o que fez Linnet se aproximar mais, certa de que nada aconteceria, mas acontece que isso era apenas uma balela e Piers não conseguiu resistir a presença constante da mulher mais linda e encantadora que ele já havia conhecido.

" Ela era linda demais. Mesmo. (...) Linnet parecia uma princesa, toda curvas e doçura e pele leitosa. Definitivamente mais bonita do que o sol e a lua."

Eu amei Quando a Bela domou a Fera. O enredo é maravilhoso: romance, drama, diálogos engraçados e cenas pra lá de quentes fazem parte deste livro que abre a série com chave de ouro. 

Eu comecei a leitura pelo segundo livro e como me apaixonei, fiquei em cólicas querendo ler esse, que superou minhas expectativas.

Confira a resenha do livro 2, Um Beijo a Meia-Noite AQUI.

Linnet é uma personagem fantástica e a maneira como lida com as malcriações e o temperamento de Piers são demais. O médico também é muito interessante e nos arranca alguns suspiros, quando realmente resolve lutar por seu amor.

"A sua maneira, Linnet era a versão feminina dele próprio: detestável, bonita demais, inteligente demais, mordaz demais.
Não que ele fosse bonito."

Li super rápido, pois não queria parar a leitura para nada. Me diverti a maior parte do tempo, mas também sofri. Chorei. E torci, torci demais para que todos os problemas acabassem e tudo desse certo no final.

O livro é todo narrado em terceira pessoa, com uma capa linda, que traz uma flor em destaque ( a rosa que representa a Bela no conto de fadas original). A diagramação é bonita e confortável.

Amei, amei, amei! E super recomendo, para quem ama romances de época (imperdível) e para quem ama romances, seja como for!




( Resenha ) Consequências - Série Mosaico, de Sue Hecker @harlequinbrasil

Harper Collins

Leia a sinopse AQUI.

Resenha




Consequências é um prequel que antecede Tutor. Uma trama sinuosa repleta de emoção, encontros e desencontros, mas principalmente as consequências de atitudes impulsivas e escolhas erradas. 

“Imersa na música que conduz o meu corpo, sinto meus olhos serem capturados: um homem desconhecido e enigmático me encara do outro lado do salão. Durante minutos me perco naquele olhar faminto. É como se, em um átimo, o ambiente no qual estão mais de trezentas pessoas desaparecesse e restassem apenas nós dois.”
Maria Luíza, ou apenas, Malu nunca foi de sair e menos ainda de beber, dançar fazia parte da sua vida, mas ela somente o fazia em academias, estúdios e apresentações teatrais. Pedro, seu meio-irmão, sempre a tratou muito bem quando eram mais novos, porém, conforme cresciam ele se afastou gradativamente até o esquecimento, acreditando que todos os problemas dos seus pais se refletiam nela. 

Depois da perda da mãe há poucos anos, Pedro se fechou para o mundo. Pouca gente sabia que ele era cheio de manias e rituais e sofria com o TOC desde muito novo, contudo, Malu o entendia, porque passaram juntos por uma infância e uma juventude tristes, cheias de fugas e muitas repressões. 


“— Dá para entender perfeitamente o motivo pelo qual o Pedro não quer apresentá-la aos amigos. — Ele diminui a distância e me surpreende olhando-o, boquiaberta. Avalia-me dos pés a cabeça, vagarosa e descaradamente. — Encantado, Walter! — Minhas mãos são cobertas pelos dedos dele, cujo calor derrete a geleira dos olhos de Pedro e faz o sangue fluir por todo o meu corpo. É impossível ignorar as sensações que me invadem naquele instante.”
Walter tinha 25 anos de idade e era um homem muito interessante, sedutor e direto, mas seria ainda mais atraente se não fosse amigo de Pedro. Entretanto, Malu sentia-se encantada, sobretudo, porque ele sabia exatamente como apaziguar seu coração. 
“As bolhas e os calos que marcaram meus pés como bailarina foram menos doloridos do que os golpes que a vida me causou até agora.”
Walter conseguiu cativar Malu e tirar o seu controle. Ele parecia tão experiente, por isso ela não queria de modo algum demonstrar ingenuidade. O objetivo inicial de Malu naquela noite era sair para ficar longe de tudo e de todos, no entanto, ela nunca imaginou que contrariando todas as suas expectativas, seu corpo pediria para estar próximo de alguém o suficiente para mostrar que podia ser desejada e amada por uma pessoa de verdade. 

O casamento da mãe de Malu deixou traumas suficientes, que a impediam de se relacionar com um homem que tivesse algum tipo de compromisso afetivo. Ao contrário da mãe, Malu não era uma caçadora de homens comprometidos. Walter era livre e desimpedido. 

“Provocante, me solto lentamente. Os flashes do jogo de luzes coloridas parecem nos cercar. Os pares ao nosso lado bailam, cada um de uma maneira singular. Começo a dançar na sua frente, a centímetros do seu corpo. Ele sorri e morde o lábio inferior, maliciosamente me instigando a querer provocá-lo um pouco mais. A batida da música chega ao ápice, e meu corpo a acompanha. Seus olhos parecem me tocar com vontade. Sinto uma descarga libidinosa de adrenalina.”

Walter não sabia onde tinha ido parar sua sanidade. Ele simplesmente se perdeu no desejo latente e na admiração por Malu. Ela o conduziu como se tivessem nascido para fazer isso juntos. 

Todavia, Walter não sabia se deveria se envolver com uma mulher que podia ser uma grande distração, pois em dois meses ele iria para o México assumir sua promoção como gerente administrativo da Sidercon, aquela era a oportunidade da sua vida.

“Sua língua penetra a minha boca, sem hesitação. Um som gutural escapa da minha garganta. Voluptuoso e sôfrego, ele explora cada pedaço da minha boca, apossando-se dela. Repito o gesto e provo a doçura de seus lábios. Seus dedos afundam no meu cabelo. Gosto do jeito como ele me segura. Sinto-me protegida e desejada. O calor se acende como fogo e, em segundos, se alastra por nossos corpos.”

Um romance erótico emocionante, envolvente e instigante, cheio de reviravoltas e contratempos. Narrado em primeira pessoa intercala entre os pontos de vista dos protagonistas, Maria Luíza e Walter, de forma clara e concisa. 

A escrita da autora é muito fluída e impactante. Os personagens são perfeitos. 

A capa é linda, representa perfeitamente a história. A diagramação é delicada e a revisão exemplar. 

Dou cinco estrelas e recomendo!!!


Pertinácia - Série Mosaico de Sue Hecker @harlequinbrasil - Em pré-venda

Harlequin Books Brasil

Sinopse

A vida de Rafaela nunca foi fácil. Da infância passada em um orfanato à mudança para São Paulo, ela sempre teve que superar diversos obstáculos que surgiam em seu caminho. Quando tudo parecia entrar nos trilhos e a jovem enfermeira pensava ter encontrado o amor, um erro lhe tirou tudo, e ela não sabe como recomeçar. É exatamente em seu momento mais frágil que Rafaela conhece Jonas, um advogado confiante, sexy e vaidoso, que parece determinado a seduzi-la. Mas, depois de uma grande desilusão, Rafaela não quer ceder à atração que sente por Jonas e correr o risco de se machucar de novo. Será que essa jovem inocente e pertinaz conseguirá resistir aos encantos de um homem experiente? Pertinácia é uma história sobre conquista: de confiança, de objetivos e, especialmente, de amor.

( Resenha ) Hoje e Sempre - Livro 5 da Série Os McGregor de Nora Roberts @harlequinbrasil

Harlequin Books Brasil

Resenha

A Série MacGregor nos conta a história da família e em todos os livros vemos Daniel MacGregor , o patriarca. Ele é um senhor inteligente que vive interferindo nos romances de seus filhos e tempos depois, nos de seus netos também, o que nos rende momentos interessantes e divertidos. E não é que Daniel ganhou seu próprio livro? Uauuu!

Quem acompanha a série vai amar ver a história de Daniel e Anna e quem ainda não leu nenhum, pode começar por este livro com certeza.

Aqui conhecemos Daniel como um homem jovem que vem da Escócia para os EUA. Ele já é um grande empreendedor e acumula uma boa fortuna. Inteligente e bom de aposta ( não no sentido de jogatina, mas de empreendedorismo mesmo), Daniel é um homem surpreendente. Ele é grande, forte, um pouco rude e sabe muito bem o que quer. Um de seus planos é encontrar uma boa mulher para ser sua esposa. Uma mulher bonita, atraente e que ame ficar em casa com os filhos, já que para ele, a família é o mais importante. Seu sonho e ter uma família grande e maravilhosa para cuidar. Ser recebido com uma boa comida e aconchego por sua esposa e tudo mais.

Mas o grande escocês foi surpreendido por uma mulher jovem, linda e muito obstinada que estudava para se tornar uma importante cirurgiã. Anna Whitfield compra algumas brigas com a família conservadora (assim como todas da época) e decide sua vida, sem deixar que os pais interfiram.


"- Ser médico é profissão de homem.
- Aprecio a sua opinião. Acontece que não existe "profissão de homem" se uma mulher é capaz de exercê-la.
Daniel bufou, tragou seu charuto e murmurou:
- Quanto absurdo.
- Sucintamente colocado, sr. MacGregor, e, de novo, rude.  Pelo menos, você é consistente. - Anna andou em direção às portas do terraço sem olhar para trás, mas pensando nele. Ousado, bruto, exibicionista e tolo.
Daniel avaliou Anna enquanto a observava misturar-se com a multidão. Fria, teimosa, direta e ridícula.
Estavam ambos fascinados."

Ela não é o que ele quer e Daniel tenta se afastar ao perceber que Anna nunca seria uma esposa dócil e dona do lar, mas não consegue se manter longe por muito tempo. Percebe que precisa dela e retorna ao páreo com força total, certo de uma vitória, afinal Daniel MacGregor nunca entra em uma luta para perder. 

Anna é uma personagem admirável e a frente de seu tempo. Ela decide o que quer e com a posse de uma herança recebida de uma tia querida, paga sua própria faculdade e leva a sua vida sem precisar depender de ninguém. A princípio Anna não vê em Daniel um bom candidato a marido. Ele é rico, lindo, inteligente e muito persistente, mas também é um homem que gosta de ser obedecido e Anna não poderia abrir mão de sua independência e de seus sonhos, nem mesmo por um homem como ele.  

"(...) O dinheiro que ganhara poderia ser perdido. Deu de ombros. Ganharia mais se fosse preciso. O poder que agora exercia poderia desaparecer. Ele o construiria de novo. Mas havia uma coisa que estava começando a entender que, se perdesse, não poderia substituir. Anna."

O problema é que a atração e admiração que sentem um pelo outro os aproxima cada dia mais, e nenhum dos dois poderá resistir.

O livro é todo narrado em terceira pessoa, a capa é linda e a diagramação bonita e confortável. Daniel é um personagem apaixonante. Eu já gostava dele nos livros anteriores, mas vê-lo mais jovem, apaixonado e lutando pelo amor de Anna foi delicioso.




"(...) Quando estavam unidos daquela forma, todo o resto se tornava insignificante. Isso a assustava, mas também a deixava eufórica.
Com desespero, Daniel a afastou de si.
- Você entende o que temos juntos? O que podemos ter?"

Os dois formam um casal maravilhoso e com muita química. As cenas mais quentes são ótimas, mas também temos lindas cenas românticas e apaixonantes.

Hoje e Sempre é maravilhoso. Mais um dos lindos romances da diva Nora Roberts que não podem faltar na estante das fãs da autora, ou das fãs de romances.

Eu amei e recomendo!

Mais Forte que o Sol - Livro 2 da Duologia Irmãs Lyndon de Julia Quinn @editoraarqueiro - Em pré-venda

Editora Arqueiro

Sinopse

Quando Charles Wycombe, o irresistível conde de Billington, cai de uma árvore – literalmente aos pés de Elllie Lyndon –, nenhum dos dois suspeita que esse encontro atrapalhado possa acabar em casamento.

Mas o conde precisa se casar antes de completar 30 anos, do contrário perderá sua fortuna. Ellie, por sua vez, tem que arranjar um marido ou a noiva intrometida e detestável de seu pai escolherá qualquer um para ela. Por isso o moço alto, bonito e galanteador que surge aparentemente do nada em sua vida parece ter caído do céu.

Charles e Ellie se entregam, então, a um casamento de conveniência, ela determinada a manter a independência e ele a continuar, na prática, como um homem solteiro.

No entanto, a química entre os dois é avassaladora e, enquanto um beijo leva a outro, a dupla improvável descobre que seu casamento não foi tão inconveniente assim, afinal...

"Julia Quinn é nossa Jane Austen contemporânea." – Jill Barnett, autora de Tudo por um beijo


Confira a resenha de Mais Lindo que a Lua, livro 1 da duologia AQUI.


Festival FLIPOP de literatura YA criado pela Editora Seguinte terá nova edição 2018 @editoraseguinte


A FLIPOP retorna em 2018 com mais autores, mais mesas e mais dias: serão três dias dedicados totalmente à literatura YA e seus leitores 💖

Para quem ainda não conhece, a FLIPOP é um festival criado pela Editora Seguinte após sentir falta de um evento voltado especialmente para os jovens leitores. A 1ª edição aconteceu em julho de 2017 e contou com a presença de dois autores estrangeiros e 13 nacionais.

Este ano o ponto de encontro mudou: o festival acontecerá no Centro de Convenções Frei Caneca, que fica a 850 metros da Avenida Paulista e 700 metros da Estação Higienópolis-Mackenzie.

Confirme já sua presença e convide os amigos!
Venha passar três dias rodeado de autores e leitores dos seus livros favoritos ❤️

Em breve novidades sobre a venda de ingressos e os autores confirmados, fique de olho 😎 

Saiba mais :

Quando: 29 de junho a 1º de julho
Onde: Centro de Convenções Frei Caneca (R. Frei Caneca, 569 - Consolação, São Paulo - SP)
Site oficial: www.flipop.com.br (inscreva-se na newsletter para receber todas as notícias!)


Confira como foi a FLIPOP de 2017